fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Vicente Pires: principal canteiro de obras do DF

Governo destinou mais de R$ 462 milhões para as obras que devem ser finalizadas em 2020. São muitas máquinas, tratores, pás e operários nas ruas da cidade

Lindauro Gomes

Publicado

em

Obras em Vicente Pires Foto : Larissa Galli/Jornal de Brasília
PUBLICIDADE

Larissa Galli
[email protected]

Águas Claras já foi considerado o maior canteiro de obras da América Latina, devido à quantidade de prédios que se erguiam por lá. Agora, uma outra Região Administrativa do Distrito Federal passa por uma grande reforma. Vicente Pires é, atualmente, o palco principal das obras do DF.

São muitas máquinas, tratores, pás e operários nas ruas da cidade trabalhando para melhorar a infraestrutura do setor habitacional. Segundo informações do GDF, mais de R$ 462 milhões estão destinados para as obras de Vicente Pires, que devem acabar em 2020. Ao todo, serão executados 185,6 km de drenagem pluvial e 253,4 km de pavimentação asfáltica, além de calçadas e meios-fios.

A intensificação do trabalho vem acontecendo, de fato, há dois meses e meio, desde o fim do período de chuvas. Segundo o administrador de Vicente Pires, Daniel de Castro Sousa, “nesses 70 dias foi feito mais pela cidade do que nos últimos anos”. No momento estão sendo asfaltadas as ruas 3b, 3c, 4, 4a, 4b, 6 e 10, que são vias fundamentais para o tráfego de veículos da cidade, além de alguns condomínios e vias da Colônia Agrícola Samambaia.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Tenho fiscalizado essas obras todos os dias. Estou na rua acompanhando tudo. Gosto de ver a evolução do trabalho e tudo que já mudou nesse curto período”, declara o administrador Daniel. “A ideia é minimizar o sofrimento da população no final do ano com a chegada do novo período de chuva. Com 70% da cidade pronta, a gente consegue diminuir significativamente o transtorno para a comunidade”, conclui.

Moradores da rua 6 apontaram que de duas semanas para cá perceberam uma aceleração na execução das obras. “Estamos vendo as obras acontecerem. Vale a pena os pequenos transtornos, faz parte”, afirma o aposentado e produtor rural Murilo Amaral, de 67 anos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Pedro Paulo, de 55 anos, é porteiro de um condomínio da rua 6. Ele acredita que as obras deviam ser mais fiscalizadas. “Como sou porteiro, presto muita atenção e acabo acompanhando todo o movimento da rua. Acho que se tivesse mais fiscalização, as obras seriam mais rápidas”, opina. “Aqui na frente do condomínio, já melhorou bastante. Estou torcendo para que toda a cidade fique boa”, completa.

A meta da Secretaria de Obras é terminar as principais ruas da região até o fim deste ano. “Queremos chegar no próximo período de chuvas com os problemas de inundações minimizados”, declarou o Secretário de Obras, Izídio Santos. Ele também frisou que a obra completa tem previsão para acabar apenas em 2020. “Não teremos todos os problemas resolvidos em 2019, mas eles serão bem menores do que aqueles do começo do ano, quando tivemos as chuvas fortes”, garante. “É uma obra complexa e invertida, com a execução do serviço de infraestrutura após a ocupação do local, mas é o que é possível fazer”, explica.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Chega de alagamentos

O sistema de drenagem da cidade contará com 22 bacias de armazenamento e contenção de água. Segundo a Secretaria de Obras, dez bacias já estão prontas e mais oito estão em execução. A pasta também destacou a construção de 85 dissipadores, essenciais para diminuir a força das águas, dos quais 38 já estão prontos e oito estão em execução.

“Essas obras são fundamentais para dar vazão à água, ou seja, são peça chave para acabar com os alagamentos que tomam conta da cidade a cada chuva”, explica o chefe de gabinete da Administração Regional, Samuel Oliveira. A reportagem do JBr visitou a lagoa 81, que fica na rua 4 e será a maior de Vicente Pires. Lá, cabem 33 mil m³ de água, que serão reconduzidos para desaguar no Córrego Vicente Pires.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
>

Lote 8

As obras estão divididas em 11 lotes por toda a Região Administrativa. De acordo com a Secretaria de Obras, é a primeira vez desde o início das obras, em 2015, que as oito empresas responsáveis pela execução dos lotes 1, 3, 4, 5, 6, 7, 9, 10 e 11 atuam simultaneamente nas ruas da cidade.

Por enquanto, os lotes 2 e 8 estão com as obras paralisadas, mas, na última sexta-feira, o governador anunciou a retomada dos trabalhos no lote 8, que nunca foram iniciadas. De acordo com a Secretaria de Obras, as obras devem começar efetivamente nos próximos dias.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Saiba Mais

Nas ruas 5, 6 e 8 de Vicente Pires, foram instaladas 397 luminárias de LED, percorrendo 10,5 km de vias.

O investimento de R$331.062,27 proporcionará uma economia mensal no consumo de energia de R$6.869,85, além de reduzir custos com operação e manutenção.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade