fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

UTI do HRSam passa a atender pacientes de Covid-19

Dez leitos de terapia intensiva estão à disposição, já a partir desta quinta-feira (25)

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Uma das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) do Hospital Regional de Samambaia (HRSam)  a partir desta quinta (25) atenderá apenas a casos de coronavírus. O espaço conta com dez leitos e tem suporte respiratório. Além disso, foi totalmente sanitizado, com mais de 100 profissionais da equipe multiprofissional treinados para receber os novos pacientes.

De acordo com o chefe do Núcleo de Controle de Infecção Hospitalar do HRSam, Danilo Saigg, a UTI escolhida fica justamente no térreo do hospital, para evitar o uso de elevadores e reduzir a possibilidade de contágio entre os usuários e profissionais de saúde.

“Terminamos nessa quarta-feira (24) a transferência dos pacientes que ficavam na unidade para a segunda UTI, no andar superior, enquanto dois precisaram ser encaminhados para outros hospitais. O espaço foi higienizado e nossos profissionais de saúde estão preparados para receber os pacientes com Covid-19”, informou Danilo Saigg.

O gestor destacou que o hospital tem se organizado bem antes de receber a determinação da Secretaria de Saúde para atender pacientes com coronavírus na UTI. A preparação incluiu desde simulações de atendimentos de casos suspeitos até treinamentos de paramentação e desparamentação dos equipamentos de proteção individual (EPIs).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Quando chegasse essa hora queríamos que a equipe estivesse tranquila e preparada. Temos EPIs suficientes para os profissionais e nossa UTI conta com 60 horas disponíveis de atendimento odontológico, para dar todo o suporte aos pacientes com Covid-19 e evitar complicações”, afirmou.

Segundo o diretor do HRSam, Luciano Gomes, há um processo constante de treinamento no hospital desde quando foi informado que o coronavírus chegava ao DF. “A equipe está preparada e consciente do que precisa ser feito para ajudar a população. E com a cobertura desses mais dez leitos, a rede pública tem mostrado que está cada vez mais equipada para dar todo o suporte necessário às pessoas”, ressaltou Luciano Gomes.

Leitos

Somando o HRSam, o Distrito Federal conta agora com o total de 453 leitos para pacientes da Covid-19. Desses, 316 estão em hospitais públicos, na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Núcleo Bandeirante e no hospital de campanha no estádio Mané Garrincha.

Os outros 125 leitos foram abertos por meio de contratos com hospitais privados, enquanto os 12 restantes ficam no Hospital Universitário de Brasília (HUB), usados graças a um convênio firmado com a Secretaria de Saúde.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Síndrome gripal

Além da UTI voltada aos pacientes com coronavírus, o hospital também ganhou recentemente uma área exclusiva de atendimento para pacientes com síndrome gripal e suspeita de Covid-19, no pronto-socorro.

O local foi reformado e possui três leitos com ponto de oxigênio, vácuo, ar comprimido e ventilador mecânico e oferece isolamento para aqueles que necessitam de internação até ser possível o encaminhamento para uma unidade de referência, como o Hospital Regional da Asa Norte (Hran) ou o Hospital Regional de Santa Maria (HRSM).

A medida obedece às necessidades de atendimento emergencial em tempos de coronavírus. Além disso, a sala de medicação também foi reformada e a equipe conseguiu criar uma sala de evolução do paciente.

Outra iniciativa no hospital foi a criação de um canal de telemedicina para que os servidores efetivos e terceirizados, com sintomas gripais ou da Covid-19, sejam atendidos. A medida reduz o trânsito de funcionários possivelmente infectados pelas dependências da unidade e diminui o índice de transmissão do vírus para outros profissionais e pacientes que aguardam atendimentos, exames, cirurgias e acompanhantes.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Com informações da Agência Brasília 


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade