fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Transparência: veja dados sobre leitos de UTI no DF

O GDF dispõe de 172 leitos de UTI na rede pública, em estabelecimentos próprios e conveniados, para tratamento de pacientes infectados pelo novo Coronavírus

Avatar

Publicado

em

Foto: Pedro Marra/Jornal de Brasília
PUBLICIDADE

Nesta terça-feira (12) o Governo do Distrito Federal (GDF) passou ao Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) as informações sobre a estrutura da rede de saúde para o combate ao novo coronavírus. Força-tarefa instituída pelo ministério solicitou, entre outros pontos, a disponibilidade de leitos de UTI e de cuidado intermediário com suporte respiratório dedicados exclusivamente ao tratamento de Covid-19 em cada unidade das redes pública e privada.

O Ministério Público também pediu a projeção da capacidade de realização de testes diários da doença e o índice de isolamento social. “Desde o começo da pandemia, o MPDFT tem acompanhado de perto as políticas públicas desenvolvidas para a questão e busca constantemente ferramentas para dar mais transparência a essas ações”, destacou o coordenador da força-tarefa, procurador de Justiça José Eduardo Sabo.

O GDF informou ao MPDFT que dispõe de 172 leitos de UTI na rede pública, em estabelecimentos próprios e conveniados, para tratamento de pacientes infectados pelo novo Coronavírus. Desses, cerca de 26% estão ocupados atualmente. A previsão é de que, até o final de junho, a rede pública conte com mais de 800 leitos com suporte ventilatório, segundo projeção encaminhada pela Secretaria de Saúde. Na rede privada, há 3.57 leitos de UTI. Desse total, 166 são destinados ao tratamento da Covid-19 e contam com taxa de 25% de ocupação.

Testes

Teste de coronavírus em Águas Claras. Foto: Vítor Mendonça/Jornal de Brasília

Ainda de acordo com informações da SES, de 21 de abril a 7 de maio foram realizados mais de 50.976 testes rápidos, aplicados no formato de drive-thru de testagem, em dez postos distribuídos nas sete regiões de saúde do DF. Também houve testagem nas unidades básica de saúde hospitalar, com a inclusão dos servidores de saúde e a programação de 4 a 5 mil testes diários. Até 3 de maio, foram realizados 37.169 testes rápidos e a expectativa é de que até 31 de maio sejam realizados mais 80 mil. A secretaria informou também que o percentual de isolamento social no DF tem variado entre 42% e 60% nas últimas semanas.

A Secretaria de Saúde (SES) recebeu, nesta terça-feira (12), o reforço de mais 150 mil testes rápidos para detecção de Covid-19. O lote será distribuído para toda a rede pública de saúde do DF, incluindo os 12 pontos de testagem em massa gratuita espalhados pelas regiões administrativas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Esses 150 mil testes serão importantes para abastecer a rede e dar mais fôlego aos testes em massa feitos pelo sistema drive thru”, destaca o secretário de Saúde, Francisco Araújo. “Como determinado pelo governador Ibaneis Rocha, estamos avançando para poder testar cada vez mais pessoas do Distrito Federal, ampliando o combate e o controle da Covid-19.”

Os testes são aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e foram importados da China por uma empresa vencedora da licitação para o fornecimento. O objetivo inicial da SES é adquirir 560 mil testes rápidos, por meio de dispensa de licitação, como parte das medidas de enfrentamento ao coronavírus. A meta pode ser alterada em função das avaliações técnicas.

“Com a última remessa, vamos chegar a cerca de 250 mil testes rápidos já comprados e utilizados, contando com os entregues pelo Ministério da Saúde, e temos a previsão de aumentar ainda mais”, informa a subsecretária de logística da secretaria, Mariana Rodrigues.

 

Com informações do MPDFT e da Agência Brasília 


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade