fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

STJ concede habeas corpus e Eduardo Hage deixa a Papuda

o ex-subsecretário de Saúde do Distrito Federal deixou a prisão por volta de 21h30, após ser detido pela 2ª vez no âmbito da Operação Falso Negativo, no dia 25 de setembro

Avatar

Publicado

em

Eduardo Hage
PUBLICIDADE

Na noite desta terça-feira (13), o ex-subsecretário de Saúde do Distrito Federal Eduardo Hage deixou o Complexo Penitenciário da Papuda, após habeas corpus concedido pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Hage deixou a prisão por volta de 21h30, após ser detido pela 2ª vez no âmbito da Operação Falso Negativo, no dia 25 de setembro de 2020.

O ex-gestor da pastar e outras 14 pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público do DF e Territórios (MPDF) por organização criminosa, fraude à licitação e peculato, entre outros crimes.

O ministro do STJ Rogério Schietti concedeu a liminar para tirar o médico da prisão.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A 5ª Vara Criminal de Brasília aceitou a denúncia em 21 de setembro e os 15 se tornaram réus. Entre oito ex-gestores da pasta que foram presos, Hage é o único que obteve decisão para sair da cadeia.

De acordo com o advogado de Eduardo Hage, Marcelo Moura, “mais uma vez, fez-se justiça”. “A prisão se amparava na interpretação equivocada de diálogos incompletos e fracionados apontados pelo MPDFT na denúncia enviada à 5ª Vara Criminal do TJDFT. Assim, emprestava-se falsa gravidade a condutas absolutamente lícitas e em fatos que não constituem crimes”, afirmou.

A denúncia

Eduardo Hage, na função de Subsecretário de Vigilância à Saúde, foi acusado de articular com o denunciado Jorge Chamon, então diretor do Laboratório Central (Lacen), a confecção de projetos básicos para contratações desnecessárias.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os contratos, segundo os promotores, eram “voltados apenas a desviar vultoso montante de dinheiro público”. Hage também é apontado como a autoridade responsável pela aprovação dos projetos básicos.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade