Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Servidores são redistribuídos para reforçar atendimento na saúde pública do DF

904 profissionais pediram para retornar à Secretaria de Saúde e, desses, 92 já foram redistribuídos, grande parte para a Região de Saúde Sudoeste

Publicado

em

Foto: Myke Sena/Jornal de Brasília
PUBLICIDADE

Aline Rocha
redacao@grupojbr.com

Começaram a ser encaminhados a diversas áreas da rede pública de saúde do Distrito Federal servidores egressos do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF) que prestavam serviço nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA) e no Hospital Regional de Santa Maria (HRSam).

No total, 904 profissionais pediram para retornar à Secretaria de Saúde e, até o momento 92 já foram redistribuídos, grande parte para a Região de Saúde Sudoeste, que contempla Samambaia, Taguatinga, Vicente Pires, Águas Claras e Recanto das Emas. De acordo com Silene Almeida, subsecretária de Gestão de Pessoas, outros 54 profissionais vão se apresentar em seus novos postos de trabalho. “A maioria na área de radiologia, além de um clínico e técnicos de enfermagem”, explica.

De acordo com Sérgio Costa, secretário adjunto de Gestão, a redistribuição dos servidores é uma reforço necessário da força de trabalho das superintendências e dos hospitais de referência e afirma que “fortalecer as equipes também é uma ação de valorização”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Silene Almeida lembra que o reforço dos profissionais vindos das unidades agora pertencentes ao Iges-DF será feito por blocos. “Na medida em que o instituto for contratando profissionais, iremos receber os servidores egressos de lá e distribuir para a rede, de acordo com as regras estabelecidas pela Portaria nº 213/19”, explica a subsecretária.

Segundo a portaria, o servidor que optasse por não ser cedido ao instituto deveria indicar até três unidades diferentes de preferência para a remoção, considerando o déficit apresentado no dimensionamento da Secretaria de Saúde.

“Eles foram distribuídos de acordo com necessidade da secretaria. Porém, convergindo com a vontade do servidor. Buscamos colocá-los na unidade escolhida ou o mais próximo dela”, complementou Silene. Agora, muitos podem trabalhar perto de casa.

Desde o começo do Iges-DF, 1.620 servidores já pediram para sair do Hospital de Base e, somente em 2019, foram 265. Esses servidores já foram redistribuídos e estão reforçando as equipes de atendimento em outras localidades.


Você pode gostar
Publicidade
Publicidade
Publicidade