fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Secretaria de Cultura libera 3,2 mi para projetos

Decisão está no Diário Oficial do DF nesta segunda (14)

Avatar

Publicado

em

Foto: SEEC
PUBLICIDADE

A Secretaria de Cultura (Secec-DF) liberou R% 3,2 milhões (R$ 3.242.871,00) para oito projetos culturais da capital. São eventos contemplados pelo Fundo de Apoio à Cultura (FAC) nos editais Audiovisual 2018, Áreas Culturais 2018 e Ocupação 2019. A decisão foi publicada no Diário Oficial (DODF) nesta segunda-feira (14).

Alguns dos projetos contemplados são:

  • “Cena Contemporânea – Festival Internacional de Teatro de Brasília” (R$ 400 mil/Cena Promoções), que realizou a vigésima edição em 2019;
  • “Movimento Internacional de Dança/MID” (R$ 400 mil/Instituto Bem Cultural), em sua sexta edição;
  • “Festival Internacional Novadança” (R$ 399.691/Associação Amigos do Futuro), em sua vigésima edição;
  • “Festival do Teatro Brasileiro (FTB) – Cena Distrito Federal, etapa Bahia” (R$ 399.980/Alecrim Produções);

Além desses proponentes, foram empenhados no DODF desta segunda-feira: R$ 700 mil para os projetos Núcleo Criativo do Quartinho (Quartinho Direções Artísticas; R$ 500 mil para o Programa Educativo Museu Nacional da República (Tuia Arte e Produção); R$ 400 mil para o Encontro Nacional de Festivais Independentes (Vilalobos Empreendimentos) e R$ 43,2 mil para Associação Comunitária de Radiodifusão de Samambaia.

Impacto pós-Covid

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Subsecretário de Fomento e Incentivo Cultural, João Moro acredita que a cultura do Distrito Federal vai sentir o impacto das verbas que estão sendo liberadas agora em 2021, já que muitos dos projetos são de circulação de teatro e dança, de encontros, de festivais e de shows. “Para esses certames que foram pensados e avaliados antes da Covid-19, a expectativa é de que essa produção escoe, com mais intensidade, no pós-pandemia.

Sobre festivais e shows, o GDF liberou nesta segunda (14) a realização de shows ao vivo em bares e restaurantes. Os estabelecimentos só podem funcionar com 50% da capacidade e têm de seguir tomando medidas de prevenção ao novo coronavírus.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade