fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Saúde já gastou R$ 31 milhões em hora extras em decorrência da pandemia no DF

O aumento de R$ 1,8 milhão nesse tipo de gasto ocorreu devido à crescente demanda por profissionais em função da pandemia do novo coronavírus

Catarina Lima

Publicado

em

Foto: Agência Brasil
PUBLICIDADE

O gasto do Governo do Distrito Federal com pagamento de Trabalho em Período Determinado (TPD), que são horas extras para os profissionais da saúde, saltou de R$ 5,5 milhões em janeiro deste ano, para R$ 7,3 milhões, em maio. O aumento de R$ 1,8 milhão nesse tipo de gasto ocorreu devido à crescente demanda por profissionais em função da pandemia do novo coronavírus. Ao todo já foram gastos nos cinco primeiros meses do ano R$ 31 milhões com pagamento de horas extras aos trabalhadores da Saúde.

Outro aumento de gastos enfrentado pela Secretaria de Saúde foi na área de pessoal. Nos últimos meses foram nomeados em caráter temporário 529 técnicos em saúde, 80 especialistas, 158 enfermeiros e 90 médicos, num total de 857 profissionais. O GDF publicou no Diário Oficial de ontem a liberação de R$ 48 milhões de crédito suplementar para o Fundo de Saúde do DF. Os recursos deverão ser integralmente usados no combate ao coronavírus. Quanto aos servidores efetivos foram nomeados 1.063, entre técnicos, especialistas, enfermeiros e médicos.

“Desde a declaração do Estado de Emergência no âmbito da saúde pública do Distrito Federal, em razão do risco de epidemias por doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti e do novo coronavírus, estamos envidando todos os esforços para fortalecer as equipes de saúde no enfrentamento à essas doenças, explicou a Secretaria de Saúde por meio de nota.

Além do aumento de gastos com pagamento de pessoal, a Secretária de Saúde também firmou 27 contratos para aquisição de diversos insumos para o combate a prevenção e o tratamento do novo coronavírus. O valor total dos contratos foi de R$ 260 milhões. Todas essas contratações foram realizadas de acordo com o que determinava a Lei 13.979 de 2020, que dispõe sobre as medidas para enfrentamento da emergência de saúde pública.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O GDF também firmou convênio com a Universidade de Brasília (UnB) e com a Fundação de Apoio à Pesquisa no valor de R$ 30 milhões para desenvolvimento de soluções para o combate ao coronavírus. No primeiro semestre foram liberados R$ 15 milhões. O acordo deveria atender dois programas selecionados na Proposta de Projetos e Ações de Pesquisa, Inovação e Extensão para o combate à covid-19. Segundo informou a Universidade de Brasília, dos R$ 15 milhões já recebidos, R$ 12,7 bilhões já estão comprometidos, dos quais R$ 12,1 bilhões foram para a realização de 14 projetos e R$ 553 milhões foram destinados ao estímulo à criação de fintechs.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade