fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Saúde do DF pede escolta para a chegada das vacinas contra covid-19

Okumoto afirmou que o local responsável pelo recebimento, armazenamento e distribuição das vacinas, não tem estrutura de segurança suficiente

Avatar

Publicado

em

Foto: Reprodução
PUBLICIDADE

O secretário de Saúde do Distrito Federal, Osnei Okumoto, solicitou, nesta semana, que as forças de seguranças da capital auxiliem na escolta das vacinas contra o novo coronavírus que deverão chegar nos próximos meses.

O chefe da Saúde enviou o documento com a solicitação para o secretário de Segurança Pública do DF, Anderson Torres, afirmando que por “se tratar de uma vacina que tem gerado uma grande expectativa em toda a sociedade pela sua disponibilidade e aplicação, o que cria uma tensão maior quanto a sua posse e armazenamento”.

Okumoto também complementou que o local responsável pelo recebimento, armazenamento e distribuição das vacinas, o Núcleo de Rede Fria, não tem estrutura de segurança suficiente. “Conta apenas com um vigilante patrimonial desarmado por turno, que faz a segurança de todo o prédio e dos bens que nele se encontram e que por vezes em nossos estoques chega a ter R$ 10 milhões em imunobiológicos e insumos para a vacinação, sem considerar a vacina contra o Covid-19”, escreveu e reivindicou auxílio da Polícia Militar do DF para fazer apoio na segurança do edifício.

“Isto posto, e buscando evitar uma possível situação mais grave que possa vir a ocorrer por meio de um assalto, ou talvez de algum usuário mais exaltado que venha até a Rede de Frio Central exigir a vacina como já aconteceu antes, é que vimos por meio deste solicitar que medidas de reforço na segurança deste NRF e inclusive deste Parque de Apoio sejam tomadas afim de resguardar a vida dos servidores que aqui desempenham suas atividades e a preservação das vacinas contra a Covid-19 pelo período em que as mesmas estiverem em estoque. Solicitamos ainda que o uso de forças de Segurança Pública também ocorra nos dias de recebimento e distribuição das vacinas contra a Covid-19”, disse o secretário de Saúde, sem especificar um calendário já definido para o início da campanha de vacinação.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade