Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Samu: novas ambulâncias integram frota para atender o DF

As novas ambulâncias vão substituir a frota de 2008, já que a manutenção desses veículos antigos estava custando mais caro do que a aquisição de novos

Publicado

em

Foto: Mariana Raphael/Secretaria de Saúde

Da Redação
redacao@grupojbr.com

Novas ambulâncias foram dadas pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SESDF) para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Foram adquiridas 11 novas ambulâncias, equipadas como unidades de suporte básico. Atualmente, a frota é composta por 37 veículos: 30 de suporte básico e sete de suporte avançado.

As novas ambulâncias vão substituir a frota de 2008, já que a manutenção desses veículos antigos estava custando mais caro do que a aquisição de novos. Cada ambulância saiu por R$ 175 mil.

Nesta semana, os veículos já estão em fase de emplacamento e, assim que forem seguradas, começarão a prestar atendimento à população. De acordo com Alexandre Garcia, diretor do Samu, nos próximos dias deverão chegar mais sete ambulâncias no Distrito Federal. “Já temos duas garantidas. Porém, enviamos um ofício solicitando sete viaturas novas e aguardamos o retorno do órgão”, conta.

Samu recebe mais chamados para evitar tentativas de suicídio

Nos seis primeiros meses de 2019, o Núcleo de Saúde Mental (Nusam) do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) do Distrito Federal, contabilizou aumento no número de atendimentos relacionados ao combate ao suicídio comparado ao mesmo período de 2018. Foram 792 chamados para combater tentativas e 219 por ideação (planejamento) suicida em 2019. No ano passado foram 678 tentativas e 171 ideações.

De acordo com Carla Pelloso, gerente da Central de Informação Toxicológica e Atendimento Psicossocial do Samu, o aumento no número de chamadas representa, acima de tudo, o fato de que as pessoas estão melhor orientadas a procurar ajuda.

“Hoje, as instituições e serviços voluntários trabalham em auxílio a essas pessoas. O assunto é mais divulgado e as entidades sabem o que fazer para ajudar quem está próximo a elas, e sabem como perceber o risco suicida”, comenta ela.

O Nusam é pioneiro no país. Criado em 2016, atua com serviço multidisciplinar e é formado por psiquiatra, psicólogo, assistente social, enfermeiro e condutor socorrista. Atende a demandas relacionadas a transtornos psicológicos, como depressão, surto psicótico, além dos casos de tentativa e ideação suicida.

Ao receber uma ligação solicitando apoio nesses casos, a equipe reguladora verifica a necessidade de encaminhar uma viatura. “Ao chegar ao local, a equipe aborda a família, verifica o contexto familiar, a situação pela qual passa e adota a conduta necessária”,explica Carla Pelloso. “Então, a pessoa é acolhida, atendida, avaliada e a equipe decide a melhor conduta para aquele momento.”

A tentativa de suicídio é considerada uma emergência médica. A pessoa deve ser levada para os serviços da rede pública, como as Unidades de Pronto Atendimento (UPA) ou pronto-socorro de hospitais. E quem presencia uma tentativa também pode acionar o Samu pelo telefone 192.


Com informações da Agência Brasília


Você pode gostar
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *