fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Riacho Fundo I é beneficiados com Operação Buraco Zero

Equipe do GDF usa diariamente de três a quatro toneladas de massa asfáltica cedida pela Novacap

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Na tarde desta terça-feira (7) quem passou pelo Riacho Fundo I presenciou o mutirão para tapar os buracos da Colônia Agrícola Sucupira. Ao todo, dez pessoas trabalham com o objetivo de eliminar os buracos da região. A ação faz parte da Operação Buraco Zero.

“Nós estamos pegando os principais pontos da cidade para poder fechar toda a malha asfáltica que está com problemas. Aqui nesta avenida serão usados aproximadamente 12 metros cúbicos de asfalto. Fora as entre quadras, em que também vamos entrar”, afirma o diretor de Obras do Riacho Fundo I, Alessandro Martins Freitas.

A equipe também retira diária de três a quatro toneladas de massa asfáltica, todos os dias, na Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap), que fornece o material. Segundo Alessandro, a prioridade é atender a avenida principal de acesso a Riacho Fundo I e algumas demandas pontuais de algumas chácaras, solicitações que são registradas na ouvidoria da administração regional.

A equipe do GDF Presente ficará no local nesta quarta (8) e quinta-feira (9). A ideia é que o grupo de trabalho permaneça em ação até que todos os buracos da região sejam completamente zerados.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A empresária Elisa Dias, 45 anos, relata que sofria com um buraco bem em frente à sua loja de costuras. “O carro passava e a lama entrava na minha loja. E eu tinha que limpar todos os dias. O buraco se abriu mais por esses dias. Já foi bom demais eles [trabalhadores] terem vindo aqui. Pelo que percebo e ouço das pessoas, a gente tem visto que o governo está agradando, tem sido de bom grado, sim”, elogia a moradora, no Riacho Fundo há dez anos.

Também moradores da Colônia Agrícola Sucupira, Manuela da Silva e o marido, Felipe Lisboa, contam que os buracos geravam ainda mais problemas nos períodos chuvosos. “Essa avenida é muito movimentada, não tem condições de se manter toda esburacada. Isso provoca estragos em carros e muitos acidentes. Mas eu preciso elogiar que o trabalho tem sido feito de forma rápida”, elogia.

Com informações da Agência Brasília. 




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade