fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Programa Viva Centro! recebe novas contribuições

Durante audiência pública, população acompanhou e participou das discussões sobre o projeto de reforma do Setor Comercial Sul

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

A minuta do projeto de lei complementar do programa Viva Centro! foi debatida com a comunidade em audiência pública, nesta segunda-feira (23). A PL vai estipular as diretrizes para a reforma do Setor Comercial Sul (SCS), . Cerca de 100 pessoas participaram das reuniões, que contou com 16 manifestações orais, além das sugestões encaminhadas via e-mail.

Para garantir a ampla participação, a audiência ocorreu de forma presencial, no auditório da Academia do Corpo de Bombeiros, com transmissão simultânea pelo aplicativo CiscoWebex e pelo canal do YouTube da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh).

A meta é consolidar o Setor Comercial Sul como referência em cultura e inovação. Os eixos do programa compreendem requalificar os espaços urbanos, renovar edificações degradadas e obsoletas, promover a garantia dos direitos e resgate da cidadania da população vulnerável do local, proporcionar espaços de convívio, diversificar usos e promover a oferta de habitação de interesse social em local dotado de infraestrutura e próximo à concentração de emprego.

Sugestões incorporadas

A subsecretária do Conjunto Urbanístico de Brasília, Izabel Borges, apresentou a versão atualizada da minuta do projeto de lei, que incorporou as sugestões da comunidade apresentadas durante a reunião pública realizada em 28 de setembro e em encontros específicos com diferentes segmentos. Entre as mudanças, está criação de um comitê de gestão participativa, órgão colegiado paritário, de natureza deliberativa e consultiva, formado por 16 representantes do poder público e da sociedade civil organizada.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O comitê vai atuar de forma contínua, nas fases de detalhamento, implantação, acompanhamento, monitoramento e avaliação de resultados do programa. Outra novidade foi a inserção no texto da salvaguarda das características do SCS como parte integrante do Conjunto Urbanístico de Brasília, garantindo a preservação da área como local de convívio, com diversidade de usos e atividades.

A maioria dos questionamentos apresentados durante a audiência foi referente às medidas que serão adotadas em relação ao setor cultural e às pessoas em situação de rua. Também foram levantadas dúvidas sobre o impacto da habitação na região.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Área comercial

De acordo com a secretária executiva da Seduh, Gizelle Moll, a inserção da habitação está sendo feita de forma muita cuidadosa, pois a ideia é manter o SCS como uma área essencialmente comercial. “Isso é vital para o projeto e para a cidade”, afirma. “Não haverá conflito entre a habitação, o setor cultural e o desenvolvimento econômico da região”.

Para o secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Mateus Oliveira, as participações mostram que não há divergência sobre as diretrizes apresentadas no projeto de lei. “A decisão dos órgãos de governo que trabalharam na construção do programa é que o projeto de lei complementar deve trazer as diretrizes”, explica. “O detalhamento que entendemos ser necessário será feito num segundo momento junto ao comitê gestor das ações”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Após a audiência pública, a área técnica da Seduh vai analisar as propostas apresentadas e, se for o caso, incorporá-las ao texto da minuta, que em seguida será encaminhado para aprovação do Conselho de Planejamento Territorial e Urbano do Distrito Federal (Conplan).

As informações são da Agência Brasília

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
>



Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade