fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Profilaxia Pós-Exposição ao HIV está disponível na rede pública de saúde

Esses medicamentos precisam ser tomados por 28 dias, sem parar, com o objetivo de impedir a infecção pelo vírus, sempre com orientação médica

Avatar

Publicado

em

Foto: Geovanna Albuquerque/Agência Saúde
PUBLICIDADE

A Secretaria de Saúde disponibiliza vários métodos de prevenção contra o HIV/Aids e outras infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), como a distribuição de preservativos masculinos e femininos, gel lubrificante e testagem rápida para a detecção de HIV, sífilis, hepatites B e C que podem ser feita nas unidades básicas de saúde (UBSs) e no Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) da Rodoviária do Plano Piloto.

A rede pública de saúde também disponibiliza a Profilaxia Pós-Exposição (PEP), uma forma de prevenção da infecção pelo HIV usando medicamentos que fazem parte do coquetel utilizado no tratamento da Aids para pessoas que possam ter entrado em contato com o vírus recentemente. Esse contato pode ter ocorrido por meio da exposição ocupacional, no caso de profissionais de saúde, por exemplo, ou pela exposição sexual ocorrida em casos de sexo sem camisinha ou de violência sexual.

De acordo com o infectologista e diretor científico da Sociedade de Infectologia do DF, José David Urbaez, esses medicamentos precisam ser tomados por 28 dias, sem parar, com o objetivo de impedir a infecção pelo vírus, sempre com orientação médica.

“A medida clássica de proteção é o uso do preservativo, pois é uma barreira mecânica que impede que as secreções sexuais (sêmen ou secreções vaginais) da pessoa infectada entrem em contato com a da pessoa susceptível”, explica.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Segundo o médico, a PEP é como a pílula do dia seguinte, ou seja, a pessoa teve uma relação sexual de risco, se expôs a sêmen ou secreções vaginais, – sendo que o sêmen é o mais importante vetor de infecção, e utiliza o medicamento posteriormente.

“É uma medida biomédica que intervém após a exposição fornecendo ao indivíduo uma combinação de três medicamentos, que ele tomará por quatro semanas e que deve iniciar sempre o mais próximo do evento infectante, mas que pode ser de 2h após a exposição ou ao limite de 72h”, destaca o infectologista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Onde encontrar

A Profilaxia Pós-Exposição está disponível em todos os serviços de urgência e emergência, Unidades de Pronto-Atendimento (UPAS) e no Hospital Dia.

De acordo com a gerente de Vigilância de Infecções Sexualmente Transmissíveis, Beatriz Maciel Luz, a PEP é indicada para pessoas que possam ter entrado em contato com o vírus recentemente (máximo 72 horas pós-exposição para início da profilaxia) por exposição ocupacional ou exposição sexual.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A gerente também destaca que “a exposição ocupacional deve ter sido com perfuro cortantes em contato com sangue ou contato direto com material biológico (de pacientes com sorologia conhecida ou paciente fonte desconhecida). A exposição sexual por violência sexual ou relação sexual desprotegida, em situações excepcionais, pois não é indicado o uso da PEP rotineiramente, por conta dos efeitos colaterais”.

Agência Brasília

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
>



Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade