fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Produção artesanal é premiada

Queijaria Coqueiral e outros dois produtores receberam o Selo Arte do Mnistério da Agricultura

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Três produtores artesanais de queijo do estado de Goiás receberam, no último sábado (3), o Selo Arte do Ministério da Agricultura, na sede do Sindicato dos Produtores Rurais de Alexânia. Criado em medida normativa no estado em dezembro de 2019, esta é a primeira vez que produtores rurais do Centro-Oeste recebem o benefício, que deverá desburocratizar distribuição e vendas nacionais dos produtos. Minas Gerais e Rio Grande do Sul são estados já contemplados com a marca.

Um dos agraciados com o selo foi o queijo Coqueiral, da Fazenda que leva o mesmo nome, em Corumbá de Goiás. A propriedade pertence a Lourenço Peixoto, diretor do grupo JBr. de Comunicação, e é gerida por Wallber Miranda Castro, que recebeu o certificado das mãos da ministra da Agricultura, Tereza Cristina. Juntamente com ele, o selo também foi entregue à Queijaria Lima, de propriedade de Rafael Lima, e à Queijaria Santa Fé da Lagoinha, de propriedade de Fernando César Ribeiro.

Para o proprietário da Fazenda Coqueiral, Lourenço Peixoto, receber esse selo do Ministério da Agricultura significa o reconhecimento do produto artesanal e de sua importância para as fazendas, melhorando o rendimento em cima do leite. “Fiquei primeiro muito orgulhoso porque conseguimos atingir todos as exigências sanitárias e de saúde animal da portaria. É um orgulho muito grande saber que seu trabalho foi aprovado”, disse.

O queijo tem características do Ceará, terra natal do produtor, com um sabor particular. “Quando você o morde, sente o ranger dos dentes, e aí está a diferença principal do queijo da Coqueiral. É um queijo que vai matutando ao longo do tempo, cada vez melhor. Tem várias fases e o pessoal entendeu que é único, que não é curado, como o da Serra da Canastra. Esse é o queijo da Coqueiral. Isso me deixou muito feliz. Entenderam o diferencial do nosso para o da Canastra.”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Para o futuro do produto, a intenção é que outros ramos sejam desenvolvidos outros processos de maturação, incrementando também a elaboração e ainda inovar com um parmesão da Coqueiral. “Quero que o queijo, a cada hora, pegue o terroir da fazenda. Outra característica bem marcante do nosso queijo é a gordura que o queijo começa a liberar quando começa a maturar, pela alimentação das vacas também”, complementou.

Apesar de ainda não planejada a linha de distribuição do queijo, o objetivo é “vender para delicateses e empórios, com grande quantidade em Brasília e no Brasil”. Lourenço ainda levar o queijo Coqueiral para participar de um concurso internacional em Paris, na França. “Estou muito otimista em me tornar um bom afinador”, espera o empresário.

Linha de crédito

“Hoje vocês vão representar uma série de produtores e produtos que vão incrementar a produção e gastronomia da Federação. Parabéns Fernando, Lourenço e Rafael”, celebrou a ministra ao entregar o selo. “Esta é uma carta de alforria do pequeno produtor”, complementou José Mário Schreiner, presidente da Federação de Agricultura e Pecuária do Goiás.

Também foi disponibilizada uma linha de crédito para pequenos e médios produtores no valor de R$ 50 mil para auxiliar nos custos da produção da Queijaria Lima. Uma cesta de produtos artesanais do município foi entregue para José Mário, para a ministra Tereza, e para o governador de Goiás, Ronaldo Caiado. Armando Leite Rollemberg Neto, presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Alexânia, foi quem organizou a cerimônia.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Novas fronteiras”

“Com certeza, são novas fronteiras a serem abertas. É o primeiro passo e o pontapé inicial”, afirmou o gerente da Fazenda Coqueiral, Wallber. “Com o Selo Arte, vamos poder levar esse queijo para todo o Brasil, com Brasília e Goiânia em primeira instância. Acabamos de conversar com o secretário de indústria e comércio [Wilder Morais] que quer fazer nosso cadastro para a exportação também”, acrescentou.

“Para nós, é um grande prazer compartilhar do nosso queijo com todo o Brasil”, alegrou-se. “A partir do nosso proprietário Lourenço Peixoto, a fazenda já vem produzindo o queijo Coqueiral, com produção familiar, há mais de 20 anos. É um queijo diferenciado que não é produzido nem nas redondezas de Minas nem de Goiás; ele se assemelha ao queijo coalho do Ceará.”




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade