Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Probióticos, poderosos agentes protetores da sua saúde!

Afinal, o que são os PROBIÓTICOS?

De acordo com a Food and Agricultural Organization e pela Organização Mundial de Saúde são “micro-organismos vivos, que quando administrados em quantidades adequadas, conferem um efeito benéfico para a saúde do hospedeiro”.

Eu costumo chamá-los de EXÉRCITO DO BEM, pois trabalham para manter nosso intestino saudável, trabalhando para uma maior saúde das vilosidades intestinais (as ondinhas presentes na parede do nosso intestino), contribuindo para um bom funcionamento do organismo em geral, prevenindo doenças crônicas e também melhorando a absorção de tudo aquilo que ingerimos.  Nosso microbioma intestinal é capaz de estimular sinais cerebrais relacionados à modulação de neurotransmissores, funções imunológicas e hormonais, que são associados à ansiedade e estresse.

Ilustração dos probióticos trabalhando para a proteção e saúde das vilosidades do nosso intestino (essas ondinhas).

O que estou querendo mostrar para vocês é que a saúde do intestino interfere, inclusive, no processo de emagrecimento, pois a composição da microbiota intestinal é altamente influenciada pela dieta. Assim como também interfere na nossa imunidade (você costuma ficar gripado com muita facilidade?), no controle hormonal (treina bem e não vê resultado?) e nos períodos de estresse (costuma viver ansioso e nervoso?), dentre outros diversos exemplos.

 

Indivíduos acima do peso (que em 99,9% dos casos são reflexo de uma alimentação inadequada), sempre apresentam inflamação intestinal e isso, se não corrigido e tratado, pode perpetuar a obesidade e predispor a morbidades associadas, como o diabetes tipo 2, por exemplo.

Os principais benefícios dos probióticos incluem:

  • Combater doenças intestinais, como colite; síndrome do intestino irritável; doença de Crohn e inflamação intestinal;
  • Combater a candidíase, hemorroidas e infecção urinária;
  • Melhorar a digestão e diminuir a azia;
  • Aumentar a absorção de alguns nutrientes, como vitamina B ou metionina;
  • Aumentar a produção de macrófagos, que são células de defesa do organismo;
  • Melhora a função digestiva;
  • Melhora condições inflamatórias intestinais;
  • Gestão e prevenção do eczema em crianças;
  • Combater doenças transmitidas por alimentos;
  • Reduzir a gripe e resfriados;
  • Reduzir o uso excessivo de antibióticos;
  • Tratar pedras nos rins;
  • Tratar cólicas;
  • Combater as bactérias resistentes aos antibióticos;
  • Tratar doença hepática;
  • Gerenciar o autismo;
  • Reduzir o colesterol;
  • Combater bactérias que causam úlceras;
  • Melhorar a acne;
  • Perder peso.

O que evitar para que a quantidade de probióticos em nosso intestino não reduzam ainda mais?

  • Toda BACTÉRIA e VÍRUS alimenta-se, principalmente, de AÇÚCAR. É uma fonte de energia rápida e eficaz, contribuindo então para a maior colonização de bactérias negativas que irão alavancar ainda mais o quadro de saúde apresentado.
  • O uso de antibióticos também interfere muito na saúde intestinal. Por isso, sempre que estiver em tratamento com o mesmo, ele deve ser acompanhado por uma prescrição de probióticos a fim de otimizar a proteção desse intestino e reduzir os danos.
  • Grãos, consumidos com muita frequência, costumam fermentar e causam também a redução da imunidade intestinal. Por isso mesmo que é muito comum as pessoas passarem mal (azia, indigestão, inchaço abdominal) quando consomem o mesmo.
  • Alimentos industrializados interferem diretamente nesse processo, uma vez que são compostos quase que em sua totalidade de produtos químicos como conversantes, corantes, aromatizantes, gordura hidrogenada, excesso de sódio, açúcar e etc.
  • Químicos e medicamentos com freqûencia.

Quando os seus microorganismos intestinais ficam desequilibrados, o sistema pode se tornar um terreno fértil para bactérias más, leveduras, vírus, fungos e parasitas.

 

Nós recebemos probióticos em abundância comendo alimentos frescos do solo e fermentados, no entanto, devido à refrigeração e práticas agrícolas, a comida atual contém pouco ou nenhum probiótico.

 

Justamente por isso que recomendo sempre, caso seja necessário, a manipulação e inclusão na rotina de meus pacientes de cepas de probióticos variadas, com o intuito de estar sempre nutrindo esse intestino e tornando a saúde do meus pacientes ainda mais efetiva. O ideal é sempre ingerir esse suplementos antes de dormir, pois dessa forma estaremos otimizando a absorção do mesmo, uma vez que o corpo está em repouso, o intestino não esta trabalhando e os hormônios estão mais estáveis.

O mais importante de tudo é fazer a bela combinação de alimentação regular e saudável + inserção de probióticos na rotina, assim afastamos todos os malefícios citados ao longo desse artigo.

 

GRATIDÃO pela atenção de todos!

 

Andressa Marchi – Nutricionista 
Nutrição esportiva e estética 

Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA