fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Policial civil que atirou em PM vai a júri popular

Uma mulher também foi atingida na perna por um dos tiros e a vítima foi levada para o hospital e já se recuperou

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

O policial civil que atirou em um tenente da Polícia Militar do DF após esbarrão em festa vai a juri popular por homicídio. Ele está preso desde à época do crime. 

Péricles Marques Portela Junior atirou em tenente após esbarrão em festa. Crime ocorreu em Águas Claras e foi registrado por câmeras de segurança. O policial civil tem 39 anos e foi acusado de matar o tenente da polícia militar Herison de Oliveira Bezerra. O crime aconteceu em abril do ano passado.

O militar foi assassinado com três tiros, por motivo fútil, após um esbarrão dentro de uma casa de shows, em Águas Claras. O juiz Paulo Afonso Correia Siqueira, responsável pelo caso, considerou ainda que a situação representou “perigo comum”.

Uma mulher também foi atingida na perna por um dos tiros e a vítima foi levada para o hospital e já se recuperou. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A data do julgamento no Tribunal do Júri ainda não foi divulgada. Se condenado, a pena do agente pode ser fixada em até 30 anos de prisão.

Veja a íntegra da decisão




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade