fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Pdaf destinou mais de R$ 136 milhões para as CREs em 2020

Investimentos contemplam coordenações regionais de ensino, que nesta semana receberam cerca de R$ 650 mil, originários de emenda parlamentar

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

A Secretaria de Educação (SEE) já destinou mais de R$ 136 milhões para as coordenações regionais de ensino (CREs) e unidades escolares neste ano, por meio do Programa de Descentralização Administrativa e Financeira (Pdaf).

Somados a esse total, cerca de R$ 650 mil foram liberados, nesta semana, para investimentos na educação pública em Taguatinga, Planaltina, Paranoá, Núcleo Bandeirante, Ceilândia, Gama, São Sebastião e Plano Piloto.

Na edição do Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) do dia 1º, foi publicada a liberação de R$ 80 mil. Já a edição desta quinta (3) traz informações sobre o investimento de R$ 568,6 mil. Ambos os recursos são originários de emendas parlamentares dos deputados distritais Agaciel Maia, Fábio Félix, Hermeto, Martins Machado e Rogério Negreiros.

Destino

O Pdaf pode ser utilizado para custeio de pequenos reparos nas escolas, como pintura, consertos em telhados e pisos, bem como para despesas de capital, a partir da compra de materiais permanentes, a exemplo de computadores e impressoras, que se incorporam ao patrimônio da unidade.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Para empregar os valores liberados, as coordenações regionais de ensino devem abrir processos no Sistema Eletrônico de Informação (SEI), informando o número da portaria que descentralizou o recurso e o documento que aprova a destinação do investimento pelo conselho escolar.

Além disso, é preciso comprovar a adimplência das unidades executoras (que utilizam os valores). A comprovação é feita por meio da prestação de contas anual dos exercícios anteriores e da regularidade das prestações de contas parciais do período em curso.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Como os recursos são provenientes de emendas parlamentares, a execução deve ser efetivada no exercício referente ao primeiro pagamento. Caso haja saldo residual ou a execução não se complete, a utilização poderá ser autorizada pela Subsecretaria de Planejamento, Acompanhamento e Avaliação (Suplav).

As informações são da Agência Brasília

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade