fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

PCDF investiga convênios de secretaria com institutos sem fins lucrativos

Investigações rondam convênios e termos de colaboração firmados pela Secriança-DF com dois institutos

Willian Matos

Publicado

em

Foto: Divulgação/PCDF
PUBLICIDADE

A Polícia Civil (PCDF) deflagrou, na manhã desta quarta-feira (22), a segunda fase da operação Conto do Vigário. Os agentes investigam as circunstâncias de seis convênios e termos de colaboração firmados entre a Secretaria de Estado de Políticas para Criança, Adolescentes e Juventude (Secriança) e dois institutos sem fins lucrativos.

A ação cumpre 15 mandados de busca e apreensão em residências e empresas vinculadas às pessoas investigadas. Agentes da Divisão Especial de Combate à Corrupção (Decor/Cecor/PCDF) querem obter elementos que venham a embasar e reforçar as investigações em andamento.

Os institutos sem fins lucrativos em questão são o Instituto Brasília para o Bem Estar do Servidor Público (IBESP) e o Instituto Terra Utópica (ITU). Os acordos firmados entre eles e a Secriança foram válidos entre 2015 e 2018.

A PCDF afirma que as investigações apontam que as parcerias teriam sido firmadas para atender a interesses de um grupo que queria se apropriar de verbas públicas. As seis parcerias custaram R$ 5,9 milhões aos cofres públicos. O valor do prejuízo, no entanto, só será definido com o desenrolar da operação.

Primeira fase

Na primeira fase da Conto do Vigário, deflagrada em dezembro de 2018, foram cumpridos nove mandados de busca e apreensão.

Na operação, há indícios da ocorrência dos crimes de estelionato majorado, associação criminosa e peculato. 


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade