fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

PCDF em ação

Foram deflagradas três operações pela PCDF. Duas delas visavam o combate ao tráfico de drogas no DF enquanto a terceira foi em desfavor de uma acusada de furtos em drogarias

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Na manhã desta sexta-feira (24) a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) deflagrou diversas operações de combate ao crime no DF. 

Operação Araguaia

A primeira operação, Araguaia, desarticulou uma organização criminosa especializada no tráfico de drogas interestadual. As investigações mostram que a logística do grupo indicava que a cocaína era recebida em chácara situada no Novo Gama (GO) e, em seguida, era difundida no DF, principalmente em Samambaia. 

Três mandados de busca e apreensão foram cumpridos. A ação resultou na apreensão de 6 kg de cocaína, cerca de R$ 7 mil, em espécie, um veículo, balanças de precisão, munições e um carregador de pistola. Foram localizados, também, máquinas para venda por meio de cartões, celulares e embalagens plásticas. Dois homens foram autuados por tráfico e associação para o tráfico e uma adolescente foi apreendida pela prática de ato infracional.

Operação Ursidae

A Operação Ursidae combateu o tráfico de cocaína no Plano Piloto. Os policiais prenderam um homem em flagrante, apreenderam meio quilo de cocaína, uma pistola e cerca de R$ 90 mil.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Por causa da pandemia do novo coronavírus, a droga estava sendo vendida por meio de delivery a usuários de alto poder aquisitivo. O suspeito foi indiciado por tráfico de drogas e, se condenado, poderá pegar até 15 anos de prisão.

Operação Mãos Leves

A Operação Mãos Leves, deflagrada pela corporação, cumpriu mandado de busca domiciliar contra Sueli do Nascimento Ferreira, que furtava drogarias em todo o DF. Ela era investigada por ter subtraído, no período noturno, produtos de uma farmácia situada na QE 11 do Guará. Na ocasião, a autora furtou seis produtos cosméticos, causando um prejuízo de R$ 1.124,49.

Conforme as imagens captadas pelo sistema de vigilância da farmácia, a autora colocou alguns produtos no interior da cesta de compras que trazia consigo, tendo colocado outros produtos em sua bolsa e, ao passar pelo caixa, apenas apresentou para pagamento os produtos que estavam na cesta de compras.

Foto: Divulgação/PCDF

Fora constatado que, com o mesmo modus operandi, a autora, no período compreendido entre os anos de 2018 e 2020, subtraiu produtos de outras nove drogarias sediadas no DF. Pesam contra ela outros sete inquéritos policiais, quase todos por furto. O mais antigo instaurado em 2003 e o mais recente instaurado em 24/05/2020, através de auto de prisão em flagrante.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Constam ainda contra a investigada o registro de outras vinte e duas ocorrências policiais, nas quais ela consta como autora ou suspeita dos delitos praticados. Duas semanas após furtar a drogaria no Guará, a autora foi presa em flagrante após furtar uma drogaria em Ceilândia com o mesmo modus operandi. Na ocasião ela pagou fiança e foi liberada. Ela há havia sido presa em flagrante em outras cinco oportunidades.

Na busca foram apreendidos diversos produtos farmacêuticos lacrados, entre os quais remédios e cosméticos, alem da bolsa e a calça utilizada pela autora quando do crime. A investigada não estava em casa quando da diligência, tendo sido a busca acompanhada por vizinhos e testemunhas.

A autora está sujeita a uma pena de 1 a 4 anos de prisão por cada furto cometido. A polícia prossegue na investigação tentando identificar os proprietários dos produtos localizados. Solicitamos a divulgação do nome e da imagem da autora para identificarmos novas vítimas




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade