fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Pavimentação na região da Rota do Cavalo vai beneficiar 300 mil pessoas

Pista que liga o Núcleo Rural de Sobradinho ao Itapoã deve ser finalizada este mês

Avatar

Publicado

em

Fotos: Lúcio Bernardo Jr/Agência Brasília
PUBLICIDADE

Neste mês, as obras de pavimentação na pista que liga a região da Rota do Cavalo, no Núcleo Rural de Sobradinho, ao Itapoã, foram retomadas este mês. Os serviços, que tinham começado em fevereiro, estavam paralisados por conta da pandemia. De acordo com a Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap), as cerca 300 mil pessoas que transitam pelo local terão a pista completamente asfaltada este mês.

O administrador do Itapoã, Valdemar Medeiros, lembra que a demanda da população foi solicitada há mais de 30 anos e reforça que o trecho vai facilitar o acesso ao Fórum da cidade, inaugurado em março deste ano. “Antes só tínhamos uma entrada e agora teremos mais uma opção. A obra vai beneficiar tanto moradores da área rural quanto da cidade”, ressalta.

Ricardo André Pereira, 38 anos, reside na RA desde a inauguração e costumava passar pelo local antes da pandemia do coronavírus. “Era só poeira e lama. Às vezes nem saia da nossa roupa”, lembra. “Depois que tudo tiver asfaltado, com certeza vai ser melhor tanto para nós pedestres quanto para os veículos”, comemora o morador.

Segundo o diretor de Urbanização da Novacap, Sérgio Lemos, 30 trabalhadores utilizam cerca de 1.200 toneladas de massa asfáltica em uma área de 10.500 m² de terra. O investimento é de R$ 2,3 milhões. “É uma obra que dará mais conforto, segurança e agilidade ao trânsito da região, principalmente às chácaras”, comenta.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Outras ações

O programa GDF Presente aumentou em quatro vezes o recolhimento de lixos, entulhos e inservíveis nas ruas do Itapoã. Quando a cidade recebe reforço do programa, a limpeza diária chega a remover 80 toneladas de materiais em desuso e em operações normais realizadas pela administração regional o número chega no máximo a 20 toneladas.

Mês passado, equipes reforçaram a solução de demandas na região com mutirão de serviços que inclui cobertura de buracos, recuperação de estradas e instalações de quebra-molas. A medida é arma de enfrentamento à proliferação do Aedes aegypti, mosquito transmissor de doenças como a dengue, zika, chikungunya e febre amarela.

Com informações da Agência Brasília 


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade