fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Pastor assume nova secretaria

O líder evangélico Iliobaldo Vivas da Silva (PRB) é o titular da Secretaria Extraordinária da Família

Olavo David Neto

Publicado

em

PUBLICIDADE

O Distrito Federal tem agora uma pasta apenas para assuntos relativos aos núcleos familiares no DF. Publicada ontem no Diário Oficial (DODF), a criação da Secretaria Extraordinária da Família alça ao status de secretário o pastor evangélico Iliobaldo Vivas da Silva (PRB), ou apenas Leo Vivas. Outras 58 pessoas foram nomeadas para a nova estrutura, subordinada ao Governo do Distrito Federal.

De acordo com o GDF, a pasta “vai se dedicar aos assuntos voltados ao fortalecimento da base da sociedade brasileira”, tendo por base o artigo 226 da Constituição de 1988. É o dispositivo constitucional estabelece que a família “tem especial proteção do Estado”, a quem também cabe, de acordo com o oitavo parágrafo, a criação de “mecanismos para coibir a violência no âmbito de suas relações”.

Vereador e deputado

Líder da Igreja Universal do Reino de Deus, Vivas foi vereador de Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro, pelo Partido dos Direitos Trabalhistas (PDT) entre 2000 e 2002, quando deixou o cargo municipal para concorrer e ser eleito deputado estadual. Com o fim deste mandato, já em outra legenda, ele concorreu à Câmara federal em 2006, pleito no qual foi votado por cerca de 83 mil eleitores — pouco menos que os 99 mil do então reeleito deputado federal Jair Bolsonaro (à época no PP, hoje sem partido).

No início de 2007, o pastor fluminense chegou ao Congresso como o único parlamentar do Partido Republicano Brasileiro. Entre o início do mandato e 2009, repartiu as atenções parlamentares com a Presidência do PRB. A reportagem não conseguiu contato com o novo secretário. À Agência Brasília, entretanto, o titular da recém-criada pasta afirmou se preocupar com a bonança da tempestade causada pelo novo coronavírus. “O governo se volta ao núcleo da sociedade para debater e propor soluções de reconstrução no pós-pandemia”, apontou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ele também ressaltou que a atuação na Igreja Universal não resultará em prejuízo por famílias criticadas no pensamento majoritário evangélico. “ “Não vamos fechar os olhos para nenhum tipo de família: seja de mãe e pais solteiros ou outra ligada à questão sexual”, garantiu o gestor. “Vamos tratar tudo de forma democrática, conforme a lei”, completou.

Saiba Mais

Além do gabinete do secretário, a pasta contará com Diretorias de Políticas e Promoção da Família; Projetos; e Assuntos Religiosos, às quais estarão subordinadas as Gerências de Formação, Desenvolvimento e Fortalecimento da Família.

Estão previstas diretorias de Fortalecimento dos Vínculos Familiares; Enfrentamento à Violência e Desafios Sociais no Âmbito Familiar; Planejamento; Produção e Execução de Eventos e Atendimento e Acompanhamento de Demandas.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade