Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Paracatu: motivo da chacina ainda é mistério

Homem mata ex, vai para a igreja e assassina outras três pessoas. Alvo seria o pastor

Publicado

em

Vitor Mendonça
redacao@grupojbr.com

Na noite da última terça-feira, por volta das 19h45 da noite, o município de Paracatu foi palco de um massacre que resultou em quatro mortos. Rudson Aragão Guimarães, de 39 anos, matou a ex-namorada Heloísa Vieira Andrade, 59 anos, e, minutos depois, na Igreja Batista Shalom, disparou quatro tiros e fez mais três vítimas fatais: Marilene Martins de Melo Neves, 52 anos, Antônio Rama, 67 anos, e Rosângela Albernaz, 50 anos.

Segundo a delegada de homicídios da 2ª Delegacia de Polícia de Paracatu, Thays Regina Silva, as motivações para o crime ainda são incertas. Relatos de fiéis sugerem que o homem tenha começado a se comportar de maneira agressiva depois de ser retirado de um dos grupos da igreja pelo pastor Evantro Rama, 38 anos.

Vítima orava

O primeiro assassinato aconteceu na casa da irmã de Rudson, onde rezavam Heloísa Vieira, a mãe e a irmã do atirador. Ele entrou e atingiu a ex-namorada no pescoço com um canivete.

Com um revólver conhecido como garrucha, de calibre 36, ele se dirigiu à igreja, onde cerca de 20 pessoas se concentravam. Transtornado, procurando pelo pastor Evandro Rama, Rudson disparou contra Antônio Rama, de 67 anos, pai do religioso, e, em seguida, contra Marilene Martins de Melo Neves, de 52 anos.

De acordo com a Polícia Militar, uma equipe que estava próxima se dirigiu à igreja após ouvir os primeiros tiros. A PM tentou convencê-lo a se render, mas não houve sucesso. O homem ergueu o braço em direção a Rosângela Albernaz, de 50 anos, e disparou. Foi feita a última vítima. Em seguida, a polícia o alvejou na clavícula esquerda, levando-o ao chão.

Rudson foi levado para o Hospital Municipal de Paracatu e encontra-se clinicamente estável, sob escolta da Polícia Civil. Ele será indiciado por quatro homicídios consumados e um homicídio tentado contra o pastor. Há ainda a possibilidade de duas qualificadoras dos crimes, a primeira por razão de motivação fútil e segunda por impossibilidade de resistência das vítimas.

Junto ao atirador ainda restavam seis munições não utilizadas. Na casa de Rudson foram encontradas mais duas munições de calibre .22, mas não foi encontrada outra arma.

Ontem foram veladas as três vítimas feitas na igreja: Marilene Martins de Melo Neves, 52 anos, Antônio Rama, 67 anos, e Rosângela Albernaz, 50 anos. O velório de Heloísa está programado para o fim da manhã de hoje, em Paracatu.


Você pode gostar
Publicidade