fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Para 2021, IGESDF pleiteia mais de R$164 milhões em emendas parlamentares

As ações envolvem reformas estruturantes, renovação do parque tecnológico e fortalecimento da área de ensino e pesquisa, bem como do serviço voltado para o tratamento de epilepsia

Avatar

Publicado

em

Foto: Davidyson Damasceno/ Agência IGESDF
PUBLICIDADE

O Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IGESDF) está pleiteando um esforço de mais de R$ 164 milhões de emendas parlamentares parar investir em projetos inovadores para a saúde pública do Distrito Federal (DF). As ações envolvem, por exemplo, reformas estruturantes, renovação do parque tecnológico e fortalecimento da área de ensino e pesquisa, bem como do serviço voltado para o tratamento de epilepsia.

Os projetos estão listados no Caderno de Emendas, elaborado pela Assessoria de Relações Institucionais (Asrei) do IGESDF, sob coordenação do diretor-presidente do instituto, Sergio Costa, que fez análise, nesta quinta-feira (13), do documento, ainda em fase de ajuste. Em breve, deve ser encaminhado para outras áreas do governo local para que possa ser inserido no Projeto de Lei Orçamentária Anual de 2021, votado em meados de setembro na Câmara Legislativa do DF (CLDF).

“Estamos planejando uma série de novas ações que vão impactar no atendimento à população do DF, por isso, é de grande importância o recebimento de emendas parlamentares distritais e federais, que vão contribuir na continuidade das melhorias nos serviços, coroando o processo de transformação de gestão da saúde pública no DF que tem trazido grandes resultados”, ressaltou o diretor-presidente.

Sergio Costa destacou que os parlamentares têm atuação relevante na aprovação de projetos importantes e destinação de recursos. “Sabemos que a Câmara Legislativa teve um papel fundamental para criação do instituto e, agora, diversos parlamentares já sinalizaram o apoio para projetos de grande relevância para o DF”, concluiu.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Trâmite

O caderno será encaminhado para ser validado pela Secretaria de Estado de Economia do DF e pela Secretaria de Estado de Relações Institucionais. Posteriormente, os projetos prioritários serão apresentados à bancada federal e à distrital, considerando projetos passíveis de investimentos por emendas parlamentares pelo Projeto de Lei Orçamentária Anual 2021.

O caderno traz os eixos: Obras e Reformas, Eixo Tecnologia da Informação, Insumos Farmacêuticos, Epilepsia, Ensino e Pesquisa e Equipamentos. “Nossa expectativa é conseguir apoio para todas essas ações prioritárias para promover maior qualidade de atendimento nos territórios integrados de atenção à saúde”, finalizou a chefe da Asrei, Nelma Louzeiro.

 




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade