Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Pai é preso pela morte de bebê em Luziânia

João Paulo Mariano
[email protected]

Não houve tempo de aprender a andar ou a falar. Aos seis meses de vida, um bebê foi morto com um tiro no tórax nos arredores de Luziânia (GO), Região Metropolitana do DF. Para a Polícia Civil de Goiás, não há dúvidas de quem fez o disparo: o pai do menino. Maycon Salustiano Silva, 25, foi preso em flagrante e foi encaminhado ao presídio do município.

A morte do menino Michel ocorreu no Parque Estrela Dalva IX, no Jardim Ingá, por volta das 3h de ontem. A investigação está a cargo da delegada-chefe da 2ª Delegacia de Polícia do Jardim Ingá, Caroline Matos. O casal foi interrogado na manhã dessa quarta-feira, após a prisão.

O homem foi detido devido ao flagrante e deve ser indiciado por homicídio. Se houver confirmação de que ele teria ameaçado a esposa, ele também deve responder por isso. Já a mulher, de 20 anos, foi liberada porque, segundo a delegada, a princípio ela não teve culpa.

Drogas

A investigadora afirma que, em depoimento, a jovem contou que o casal fez uso de maconha durante a noite, dentro de casa. Maycon ainda teria ingerido bebida alcoólica. Então, uma discussão teria começado porque ela não aceitou as investidas sexuais dele. Assim, o rapaz teria pego a arma dele, calibre 32, e ameaçado mulher e filho.

Como a jovem não cedeu, ele teria disparado contra o menino, que estava no berço. O tiro atingiu o tórax do bebê e teria transpassado o corpo, segundo a Polícia Militar do município.

Segundo o chefe de equipe da Central de Operações Policias Militares (Copom), subtenente Cleiton Angelo, a corporação soube do caso quando a criança foi levada às pressas pelos pais para a UPA do Jardim Ingá. Um dos policiais de plantão alertou para a necessidade de apuração.

“O médico constatou que era um ferimento de arma calibre 22 e nós encontramos o mesmo tipo de arma na casa deles. O berço tinha manchas de sangue”, afirma. Ele ainda lembra que, na UPA, o casal apresentava comportamento alterado, com aparente uso de drogas.

Nas redes sociais, perfis do casal foram lotados de mensagens de revolta com o caso. Reprodução

O único filho do casal faleceu antes de chegar à UPA. A delegada Caroline explica que Maycon confessou que teria consumido entorpecentes e que a arma seria dele. Porém, ele diz não se lembrar do momento do tiro. Mas, para a investigadora, o calibre da bala é uma prova contundente. Agora, será feita a análise dos laudos, que devem sair em 30 dias. Maycon foi preso ainda na UPA. “Os dois aparentaram estar muito abalados. Eles choram muito”, comenta.

Saiba Mais

Os perfis nas redes sociais do casal foram tomados por mensagens de internautas pedindo justiça no caso.

Em uma das publicações de Maycon, de 11 semanas atrás, ele e a esposa elogiaram a beleza da criança e brincaram que ela se parecia com ambos.

Em outra publicação, em que o acusado está beijando a barriga da mulher ainda grávida, um internauta comenta: “O bebê nem sabia que o assassino tava (sic) a barriga dessa desg*”.

Você pode gostar
Publicidade