fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Obras seguem em Vicente Pires

Começou a obra de asfaltamento na Rua 12, onde os trabalhos de drenagem e terraplenagem estão em andamento e devem ser finalizadas em dezembro

Avatar

Publicado

em

Foto: Paulo H. Carvalho / Agência Brasília
PUBLICIDADE

Vicente Pires permanece tomada por maquinários e operários para concluir as obras e a infraestrutura necessária para a população local. Nesta semana, por exemplo, começou a obra de asfaltamento na Rua 12, onde os trabalhos de drenagem e terraplenagem estão em andamento e devem ser finalizadas em dezembro.

Já o asfalto tem previsão de ser concluído em outubro. Em um dos trechos da Rua 12, as escavações para a capa asfáltica atingem 1 metro, bem mais do que os 50 centímetros previstos, já que o local era um antigo aterro sanitário.

Quando os trabalhadores começaram os serviços, verificaram a necessidade de uma escavação maior para aterrar novamente e fazer as etapas seguintes de um asfaltamento, como o subleito, s-base e a capa asfáltica.

A cidade não para

Na manhã desta terça-feira (28) a Agência Brasília percorreu Vicente Pires para acompanhar as obras e ouvir moradores e comerciantes. Assim como na Rua 12, a Rua 4A também está com máquinas por todas as partes. Nela, os trabalhos se concentram na pavimentação e na drenagem.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em meio a tratores e escavadeiras na Rua 4A, o gerente comercial Manoel Sobrinho vê com esperança o término das obras. “Tem três anos que a cidade está em obras, mas notei que esse ano vieram para finalizar” observa. “Quando essa obra estiver finalizada, vai ser uma glória para nós. Vicente Pires é bom para trabalhar e tem movimento bom no comércio”.

Na Rua 4A, onde Manoel trabalha e passa a maior parte do dia, a empresa Artec, responsável pelos serviços, atualmente atua na compactação do solo para a chegada do asfalto. A conclusão dessa etapa está prevista para a segunda quinzena de agosto. Paralelamente, os comerciantes finalizam a retirada dos “puxadinhos” enquanto a Companhia Energética de Brasília (CEB) trabalha na realocação de alguns postes.

Morador da cidade há pouco mais de um mês, o analista de sistemas Flávio Lima está animado com o andamento das obras. As boas ofertas imobiliárias e a cidade em transformação, conta, o levaram a escolher Vicente Pires para morar.

“Conhecia a cidade e, apesar de achar que a estrutura de comércio é muito boa, as ruas não asfaltadas eram coisas negativas daqui”, relembra. “Saí do Brasil, voltei agora e comecei a procurar lugares para morar. Apareceu uma oportunidade aqui e foi justamente nessa transição de renovar ou colocar o asfalto. Surpreendentemente, as ruas foram logo asfaltadas. Para mim, está sendo muito satisfatório.”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Licitação

O GDF fixou em 12 de agosto a data de licitação para contratação de empresa responsável pela execução de obras de drenagem, pavimentação, sinalização e calçadas das vias internas e principais dos lotes 2, 5, 8 e 9 de Vicente Pires que não puderam ser finalizadas nos contratos existentes. O projeto também prevê a conclusão de 398 metros de uma galeria subterrânea, no método tunnel liner (não destrutivo).

O investimento previsto é de R$ 45.682.609,86 para a execução de 228.963,36 metros quadrados de pavimentação, 10.615,03 metros de drenagem e 69.576,82 metros quadrados de calçadas.

Na Rua 8, a empresária Marli Pedrosa aguarda ansiosamente pela chegada do asfalto no trecho restante de 800m de uma das vias. “O comércio aqui eu tenho há quatro anos, e em Vicente Pires moro mais de 15 anos”, diz. “A maior parte da Vicente Pires está pronta, né? Temos ruas maravilhosas; a 10 mesmo está completa, e aqui está faltando um pedaço da 8. Trabalho bem-feito, estrutura boa. O outro asfaltamento foi feito de forma provisória; esse não, já é uma estrutura para a cidade. Tive oportunidade de acompanhar. Vai ficar uma cidade maravilhosa quando terminar”.

Na Vila São José, as obras também estão em andamento. A drenagem segue em ritmo acelerado e boa parte da pavimentação está concluída. O trecho de pavimentação ainda a ser feito necessitará de implosões e demanda mais cuidados.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Por não ter ligação com o resto da Rua 8, em parte da Vila São José a água corre por cima do asfalto, trazendo um certo transtorno”, explica. Temos conhecimento disso e o que está dentro do contrato existe manutenção e assim será feito. O que não foi executado está dentro do pacote de obras e também será feito”, explica o engenheiro Mateus Henrique Pegorer, da Diretoria de Obras (Dirob) da Administração Regional de Vicente Pires.

Andamento das obras em Vicente Pires

  • Rua 1 (rua do Jóquei) –Serviços de drenagem, pavimentação e instalação de calçadas e meios-fios concluídos.
  • Rua 3 – A empresa GW trabalha na execução de 600m de drenagem no trecho que vai do entroncamento com a Rua 4 até a Estrada Parque Taguatinga (EPTG). Após a execução desse serviço, a pavimentação de toda a via será concluída. A iluminação foi totalmente refeita, com a substituição de 115 luminárias convencionais por equipamentos de LED.
  • Rua 3B – Serviços de drenagem, pavimentação e instalação de meios-fios concluídos. A construção das calçadas está em andamento, assim como a sinalização vertical e horizontal da via.
  • Rua 3C – Serviços de drenagem, pavimentação e instalação de meios-fios concluídos. A construção das calçadas está em andamento, assim como a sinalização vertical e horizontal da via.
  • Rua 4 – A empresa VP, responsável pelo trecho, concluiu os serviços de drenagem, pavimentação e instalação de meios-fios. No momento, a empresa Artec executa a construção das calçadas. A conclusão dos serviços está prevista para a primeira quinzena de setembro.
  • Rua 4A – No momento, a empresa Artec trabalha na compactação do solo para a chegada do asfalto. A conclusão dos serviços está prevista para a segunda quinzena de agosto. Em paralelo, os comerciantes estão finalizando a retirada dos “puxadinhos”, e a Companhia Energética de Brasília (CEB) está trabalhando na realocação de alguns postes.
  • Rua 4B (rua da delegacia) – Serviços de drenagem, pavimentação e instalação de calçadas e meios-fios concluídos.
  • Rua 4C (rua da Faculdade Mauá) – Serviços de drenagem, pavimentação e instalação de calçadas e meios-fios concluídos.
  • Rua 4D – Serviços de drenagem e pavimentação concluídos.
  • Rua do Sicoob – Serviços de drenagem e pavimentação concluídos.
  • Rua da Academia Corpo e Saúde – Serviços de drenagem e pavimentação concluídos.
  • Rua 5 – Serviços de drenagem e pavimentação previstos em contrato concluídos. Parte dos trabalhos foi executada pelo Departamento de Estradas de Rodagem do DF (DER-DF). O remanescente de obra está previsto na licitação em andamento.
  • Rua 6 – Serviços de drenagem e pavimentação previstos em contrato estão concluídos. No momento, a empresa Artec executa a construção de calçadas. A conclusão desse serviço está prevista para a segunda quinzena de agosto. O remanescente de obra está previsto na licitação em andamento.
  • Rua 7 – Serviços de drenagem e pavimentação concluídos. No momento, a empresa JM trabalha na instalação dos meios-fios.
  • Rua 8 – Serviços de drenagem e pavimentação previstos em contrato concluídos. O remanescente de obra está previsto na licitação em andamento.
  • Rua 10 – Serviços de drenagem e pavimentação previstos em contrato concluídos. Parte foi executada pelo DER e pela Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap). O remanescente de obra está previsto na licitação em andamento.
  • Rua 12 – Obras de drenagem e terraplanagem de 2,6 km dos 3,2 km da via em andamento. A expectativa é que esses serviços estejam concluídos em dezembro. O remanescente de obra está previsto na licitação em andamento.
  • Colônia Agrícola Samambaia – O contrato do Lote 2, que contempla a área, será licitado novamente. O projeto está sendo readequado para a realidade do local, uma vez que o original é de 2008. A licitação para contratação de empresa responsável pela sondagem da região está em andamento.
  • Lagoas de detenção – O projeto prevê a construção de 22 lagoas (14 estão concluídas) e 85 dissipadores (40 estão finalizados).
  • Ponte sobre o córrego Vicente Pires – No momento, o DER-DF executa a concretagem da fundação que dará sustentação ao elevado. Após a conclusão dessa etapa, o próximo passo será o erguimento da parede de concreto com os pilares, que dará suporte para o lançamento das 170 toneladas de vigas metálicas. Em seguida, virá a aplicação do concreto e, por último, a implantação do aterro de encabeçamento da ponte. A “obra de arte especial” (OAE, denominação dada a estruturas viárias diferenciadas, como pontes e viadutos) de 40 metros está orçada em aproximadamente R$ 3,1 milhões, com previsão de ser entregue à população em outubro deste ano.
  • Obra de Arte Especial nº 2 – No momento, a empresa VP trabalha na construção de ponte sobre o córrego Samambaia que vai ligar a Rua 4 à EPTG. Com 82 metros de extensão e 13,2 metros de largura, o monumento está orçado em aproximadamente R$ 2,3 milhões e previsto para ser entregue à população em dezembro deste ano.
  • Obra de Arte Especial nº 3 – Está em processo de licitação a contratação de empresa responsável pela construção de ponte na via de ligação entre as ruas 1 e 3B. O monumento, orçado em aproximadamente R$ 6 milhões, terá 180 metros de extensão e 13,2 metros de largura.

Com informações da Agência Brasília




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade