Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Número de lançamentos imobiliários no DF já supera 2018

Os dados refletem no mais recente Índice de Velocidade de Vendas (IVV), dos imóveis residenciais, referente ao mês de abril e divulgado hoje

Lindauro Gomes

Publicado

em

PUBLICIDADE

A construção imobiliária no Distrito Federal passa por um momento de boas perspectivas em vendas, conforme comprova o número de lançamentos no primeiro quadrimestre deste ano – 13 empreendimentos.

O mês de abril teve o maior registro de lançamentos – acrescentando 1.136 unidades para oferta. Os lançamentos aconteceram na Asa Sul, Noroeste, Guará, Planaltina e Santa Maria.

Os dados refletem no mais recente Índice de Velocidade de Vendas (IVV), dos imóveis residenciais, referente ao mês de abril e divulgado hoje, aponta 5,4% ou seja, acima do indicador considerado como balizador do mercado imobiliário (5%) e, por isso, é avaliado como satisfatório pelas entidades do setor, diante do quadro econômico local e nacional.

IVV dos imóveis residenciais

Samambaia registrou maior IVV em abril: 9,6%; Noroeste veio logo depois com 8,1%; em seguida, Santa Maria, 7,4%, e Planaltina, 4,8%. A pesquisa considera os negócios em todas as regiões administrativas do DF, informados pelas 30 empresas participantes do estudo, responsáveis por 90% da oferta de imóveis novos.

Venda de imóveis residenciais

Abril de 2019 registrou uma queda no número de unidades residenciais novas vendidas (181) na comparação com o mesmo mês dos anos anteriores. Uma queda de 28% em relação a março.

Oferta de imóveis residenciais

Myke Sena/Jornal de Brasília/ Cedoc

A pesquisa do IVV aponta oferta de 3.368 unidades em abril. Este número é 23% maior do que a oferta registrada em março deste ano. “Estamos otimistas com o número de lançamentos este ano. Só no mês de abril quatro das nossas empresas associadas lançaram sete empreendimentos. Foram ao todo 1.136 unidades colocadas em oferta”, diz Eduardo Aroeira, Vice-Presidente da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal (ADEMI-DF).O estudo é conduzido em parceria pela ADEMI-DF e pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do DF (SINDUSCON-DF), com apoio do SEBRAE-DF.

A empresa Opinião Informação Estratégica é responsável pela coleta, tabulação e análise das informações, obtidas junto às empresas que aderiram voluntariamente ao projeto.

As unidades de 2 quartos são as que tiveram o Índice de Velocidade de Vendas mais alto no mês de abril, com 6,6%; seguido dos apartamentos de 3 quartos (5,0%); apartamento de 4 quartos ou mais (3,9%) e 1 quarto com 3,8%.

Mais dados da pesquisa 

A pesquisa tem o objetivo de aferir os negócios de imóveis novos residenciais e comerciais no DF e se a velocidade com que são vendidos está de acordo com as expectativas.

O IVV dos imóveis residenciais em janeiro foi de 5,4%.Em 2018 a oferta média de imóveis residenciais novos no DF, entre as empresas pesquisadas, foi de 3.400, bem abaixo da média dos anos anteriores 2015. Em abril foram ofertadas 3.368 unidades residenciais. “A tendência é termos um aumento na oferta. A expectativa é que tenhamos aproximadamente 25 lançamentos em 2019”, afirma Aroeira. “Acreditamos que com a Reforma da Previdência a confiança dos empresários e dos compradores aumentará e a demanda por imóveis vai aumentar”, conclui.


Leia também
Publicidade