Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Mulher é assassinada e filho mata suspeito

Gláucia Sotero foi morta em casa, no Sol Nascente. Horas depois, Lauro invadiu residência do ex-padrasto e o matou a tiros. Se for confirmado, este será o 31º feminicídio do ano no DF

Lindauro Gomes

Publicado

em

PUBLICIDADE

Pedro Marra
redacao@grupojbr.com

Um possível feminicídio ocorreu na madrugada deste sábado no Sol Nascente. Gláucia Sotero da Silva, de 45 anos, foi assassinada dentro de casa supostamente pelo ex-marido, Bruno Rodrigues da Silva, de 30 anos. O crime revoltou o filho, Lauro Vitor Sotero, de 19 anos, que, por volta das 15h, foi atrás do suposto autor e o matou com disparos de arma de fogo.

Lauro teve ajuda de dois comparsas, entre eles o sobrinho da vítima e primo de Lauro, Marcelo Sotero, de 20 anos. O terceiro suspeito ainda não foi encontrado.

Segundo a Polícia Civil do DF (PCDF), os suspeitos invadiram a casa da vítima, na Chácara 02 do Sol Nascente, pelo telhado e, após o crime, fugiram em um automóvel. Por volta de 20h de sábado, policiais conseguiram encontrar o suspeito do disparo.

Lauro foi levado à 15ª Delegacia de Polícia, onde foi reconhecido pela mãe do homem assassinado.

Se for confirmado, a morte de Gláucia será o 31º feminicídio neste ano no DF.

Marcas de agressão

A 23ª Delegacia de Polícia ficou responsável pelo caso. “No amanhecer de ontem, vimos que a mulher tinha marcas de esganadura, espancamento e enforcamento. Depois, a família da mulher falou que tinha uma adolescente na casa, que no momento da morte da mulher, fingiu que estava dormindo e viu que quem teria matado a mulher seria o ex-marido dela, que mora na mesma rua”, conta o sargento Pedrosa, do 10º Batalhão de Polícia Militar (BPM), de Ceilândia.

Testemunhas relataram aos policiais que o ex-marido teria feito ameaças a ex-esposa recentemente.

A 23ª Delegacia de Polícia, de Ceilândia Sul, será a unidade responsável por cuidar do caso.


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade