fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

MPDFT cobra fiscalização em 40 leitos das UPAs de Ceilândia e Sobradinho

Na UPA de Ceilândia, só há sete leitos de UTI tipo II disponíveis. Em Sobradinho, não há nenhum, segundo a força-tarefa do Ministério Público

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

O Ministério Público (MPDFT) fez uma recomendação referente aos leitos das unidades de pronto atendimento (UPAs) de Ceilândia e Sobradinho. Segundo a força-tarefa criada para tratar de assuntos referentes à pandemia de covid-19, na UPA de Ceilândia só há sete leitos de UTI tipo II em funcionamento; em Sobradinho, não há nenhum tipo II disponível. Os leitos tipo II são aqueles destinados ao tratamento do novo coronavírus.

Os leitos aos quais a força-tarefa se refere são àqueles administrados pelo Instituto Med Aid Saúde (Imas). O MPDFT pede que o Imas envie relatórios e atualize dados a cada 15 dias. A relação dos profissionais deverá ser encaminhada ao Ministério Público, assim como os nomes dos responsáveis técnicos e dos médicos diaristas.

O MPDFT também quer o controle semanal do consumo e do estoque dos medicamentos, insumos e equipamentos de proteção individual (EPI) utilizados para o funcionamento dos leitos de UTI. As evoluções dos pacientes internados nos leitos de UTI deverão ser feitas por meio do sistema SOUL MV, ferramenta que controla finanças, logística e a parte clínica, com prontuário eletrônico de evolução dos pacientes.

Além disso, a força-tarefa pede a imediata regulação dos 40 leitos de UTI nas Upas de Ceilândia e Sobradinho, com acesso ao Complexo Regulador do DF, para acompanhamento da ocupação desses leitos e das respectivas altas médicas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O MPDFT deverá receber, no prazo de cinco dias úteis, relatório com todas as providências tomadas para o cumprimento da recomendação. Caso esses profissionais não atendam às normas da Anvisa e do Conselho Federal de Medicina, deverão ser providenciadas as medidas necessárias para que seja feita a substituição pela empresa contratada.

A recomendação foi enviada ao Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF), à Superintendência da Unidade de Atenção Pré-Hospitalar (UPA) 24h e à Coordenadoria de Orçamentos, Custos, Finanças e Compras.

Com informações do MPDFT




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade