fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Mais de 2.700 novas lixeiras instaladas pelo GDF

Até o final deste ano, o SLU pretende instalar 21 mil papeleiras em todo o Distrito Federal

Avatar

Publicado

em

Foto: Joel Rodrigues/Agência Brasília
PUBLICIDADE

As 33 Regiões Administrativas (RAs) do Distrito Federal estão recebendo um total de 5.650 novas lixeiras, por meio de uma iniciativa do Serviço de Limpeza Urbana (SLU).  Apenas no Riacho Fundo, desde a terça-feira (5), 137 novas papeleiras (nome técnico) estão sendo instaladas. As informações são da Agência Brasília.

Até o final deste ano, o SLU pretende instalar 21 mil papeleiras em todo o Distrito Federal. A primeira fase, que se encerra no fim de março, foi responsável por instalar 2.700 novas unidades, até o momento, em locais de grande movimentação de pessoas. O investimento por parte do governo é de R$ 2,5 milhões.

As quadras QN 01, 03, 05 e a colônia agrícola Sucupira foram os pontos iniciais do roteiro de papeleiras instaladas no Riacho Fundo. Ideal para o descarte de objetos pequenos, elas são feitas de plástico, pintadas na cor cinza e são fixadas em postes, presas com uma alça metálica, ou em paredes.

Em meio a uma caminhada pela QN 01, onde mora, o motorista de aplicativo Marcone Brito, 35 anos, se deparou com duas delas. Na opinião dele, a tendência é melhorar a limpeza na cidade. “É uma questão de conscientização. A pessoa vendo que tem uma lixeira bem ali ao lado, espero que deixe de jogar lixo no chão”, acredita Marcone.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

oração da comunidade. “Ficaram ótimas. Agora é uma soma da educação mais iniciativa. É uma iniciativa muito boa do Governo, mas os moradores precisam ter educação e usar as lixeiras. Senão não funciona”, acredita.

Bem discretas e resistentes, as papeleiras têm capacidade para até 50 kg e um volume de 50 litros. A instalação no Riacho termina no próximo dia 12. Nessa primeira quinzena de janeiro, as RAs de Taguatinga, Sobradinho, Sobradinho II e Fercal também recebem os novos equipamentos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Cabe a nós, cidadãos, deixarmos a cidade cada vez mais limpa. E as novas lixeiras são fundamentais nesse processo. São espaçosas e estão em lugares bem visíveis. Estamos na luta por um Riacho mais limpo”, pontua a administradora regional, Ana Lúcia Melo.

Parques e áreas verdes

De acordo com o SLU, a instalação é feita em locais onde circula muita gente, como próximo a paradas de ônibus, quadras poliesportivas e PECs (Pontos de Encontros Comunitários), por exemplo. A pessoa, ao passar pelo equipamento público, tem várias opções para descartar seu lixo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“É uma necessidade de todas as cidades. O cidadão está consumindo algo na rua, como uma garrafinha d’água, e tem onde jogar depois”, explica a coordenadora de geoprocessamento do SLU, Camila Lopes. Os coletores em boas condições, já existentes nas RAS, são mantidos. Os danificados ou arrancados em atos de vandalismo, são retirados e dão espaço para novos.

Segundo Camila, o objetivo do órgão é levar não somente para as ruas das cidades mas, também, para outros espaços públicos. “Concluída essa primeira etapa, vamos mapear e levar as papeleiras para áreas verdes e parques de todo o DF”, finaliza.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
>

Total de papeleiras instaladas até o momento:
2.732 unidades

Cidades onde serão instaladas as papeleiras em janeiro:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Taguatinga – 391 unidades
Sobradinho – 179 unidades
Riacho Fundo – 137 unidades
Sobradinho 2 – 124 unidades
Fercal – 19 unidades

Fonte: SLU




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade