fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Luziânia: Candidatos pedem apoio das forças federais nas eleições

A alegação é que a polícia goiana estaria se sentindo intimidada pelo governador Caiado

Lucas Neiva

Publicado

em

PUBLICIDADE

Sob a alegação de que as forças de segurança do estado do Goiás estariam sofrendo intimidação por parte do governador Ronaldo Caiado ao lidar com assuntos judiciais que possam prejudicar seus aliados, candidatos aos cargos eletivos no município de Luziânia (GO) entraram com pedido na justiça para que as eleições locais recebam o apoio de forças de segurança federais.

Um dos pedidos é do advogado e candidato a vice-prefeito de Luziânia pelo PSL Eladio Barbosa Carneiro. “O que aconteceu: foi proferida uma medida de proibição de aglomerações de maneira geral. Depois, houve uma outra decisão de proibição de evento marcado para o dia 25, que foi um comício indoor com mais de 100 pessoas com a presença do governador do estado. Mas o evento aconteceu, e ao invés da Polícia Militar [do estado de Goiás] dar cumprimento à decisão do juiz, ela se fez presente e inclusive escoltando os transgressores, o deputado estadual Diego Sorgatto (Dem) e o governador Ronaldo Caiado”, narra Eladio.

A decisão citada pelo candidato a vice-prefeito do município se trata de uma medida solicitada pelo partido Patriota que determinava multa de R$ 200 mil para o partido e R$ 100 mil para cada candidato que participasse do comício do último dia 25, além de cumprir um mês a um ano de detenção dos organizadores. A decisão judicial ainda determina que o comício poderia ser organizado na forma drive-in, o que não aconteceu: gravações do comício revelam a aglomeração formada ao redor de um palco, em local fechado, onde o deputado e o governador podiam ser vistos.

Além de não cumprir com a decisão judicial, um áudio vazado por Eladio Batista revela que o deputado Diego Sorgatto chegou a tentar convencer os eleitores de que a decisão proibindo o comício havia sido derrubada. “Tem um pessoal espalhando, no sentido de boicotar, que a reunião foi proibida pela justiça. É mentira. Isso não aconteceu. Até fizeram um pedido, mas não foi deferido, a reunião está de pé e vai ser a maior reunião política da história de Luziânia. (…) Espero todos vocês daqui a pouco”, revela a mensagem supostamente enviada pelo deputado aos partidários da coligação “Juntos para mudar Luziânia”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No mesmo áudio, o deputado estadual chega a citar o governador Ronaldo Caiado. “Amigos, boa tarde. Só quero esclarecer que a nossa reunião está de pé. O governador acabou de me ligar, está em Ocidental, vai começar a carreata lá agora e daqui a pouco estará aqui”, afirma. A mensagem é reforçada em um segundo áudio, em que afirma que o comício será “uma grande festa”.

PMGO diz que não sabia do comício

Os candidatos que pediram ajuda federal afirmam que a inação da Polícia Militar do estado de Goias (PMGO) se deve a medo de represálias. “As Forças de Segurança estaduais estão se sentindo intimidadas no cumprimento das determinações da Justiça Eleitoral, seja em razão da participação do Governador (Chefe maior das forças), seja pelo medo de eventuais represálias dos grandes grupos econômicos que atuam em Luziânia e estão investindo vultuosos recursos na campanha eleitoral, em descumprimento às decisões judiciais”, afirma a petição do partido Patriota.

Procurada pela reportagem, a PMGO informou por meio de sua assessoria de imprensa que até então não tinha conhecimento do ocorrido, e que as unidades no município serão investigadas. Também foram procurados pela reportagem o deputado estadual Diego Sorgatto e a assessoria de comunicação do governo do estado de Goiás para que pudessem manifestar suas versões do ocorrido, mas não houve resposta até o fechamento da matéria.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade