Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Lis e Mel homenagearam os profissionais fizeram a cirurgia delas

Ao todo foram 50 profissionais, sendo uma equipe de médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, nutricionistas, limpeza entre outros

Paula Beatriz
[email protected]

Com muita felicidade e energia as gêmeas Lis e Mel puderam homenagear os profissionais que atuaram na cirurgia de separação delas. As gêmeas nasceram unidas pela cabeça mas, hoje já estão bem e segundo a mãe, Camila Vieira, já estão dando os primeiros passinhos com o auxílio dos familiares e continuam brincando de tirar as chupetas uma da outra.

 

Os pais das gêmeas, Camilla Vieira e Rodrigo Aragão demonstravam muita felicidade e gratidão a equipe que separou as meninas com toda dedicação e segurança.

“Sempre tive o sonho de ser pai e foi um choque pra mim. Você nunca pensa que aquilo vai acontecer com vc”, disse o pai das meninas.

“Fomos bem acolhidos pelos hospitais e por toda equipe médica. Tenho certeza que nenhuma equipe médica nos daria tanto apoio e tanto carinho. Eu só tenho a agradecer aos meus anjos. Eles foram muito importantes pra nós nesse momento. Agradecemos pela família dos médicos que acabamos criando um vínculo. As meninas estão bem graças a Deus e agora é só vitória”, comentou Camila muito emocionada. Os avós maternos, tios e a avó paterna também estavam na solenidade.

Na tarde desta sexta-feira (14) a equipe de 50 profissionais que atuaram na cirurgia, sendo uma equipe de médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, nutricionistas, limpeza entre outros, foram homenageados em uma sessão solene no Plenário da Câmara Legislativa do Distrito Federal.

“Tivemos a participação muito importante do HMIB; e esse processo de construção da cirurgia a equipe do HRAM também foi fundamental. Além deles, outra participação que não podemos deixar de destacar, são dos pais das gêmeas que em um caso tão complicado formaram uma dupla muito positiva”, disse o superintendente adjunto do Hospital da Criança de Brasília, José Gilson de Alencar.

Mel e Lis nasceram unidas pelo lado direito da cabeça e para que fossem separadas, foi necessária uma operação de alta complexidade que durou cerca de 20 horas, no centro cirúrgico do Hospital da Criança de Brasília (HCB).

O procedimento de separação foi chefiado pelo neurocirurgião Benicio Oton de Lima. “Médicos, enfermagem, equipe de limpeza, nutrição enfim, todos foram muito importantes, não recebi nenhum ‘não’, recebi todo apoio. As gêmeas, Mel e Lis, foram separadas mas trouxeram união para equipe médica. Elas amoleceram os nossos corações”, disse o neurocirurgião.

Após a cirurgia as gêmeas foram mantidas em coma induzido para que recuperassem os sentidos naturalmente. As gêmeas receberam alta no último dia 3 de junho e puderam voltar para casa. Elas passaram 36 dias internadas. Esse foi o primeiro procedimento realizado na capital do país.

O deputado distrital, Claudio Abrantes, estava conduzindo a solenidade e contou como o DF se comoveu com a história das meninas. “Nós torcemos e rezamos por essas criaturinhas maravilhosas. Sempre torcemos e vibramos por está equipe”.

Você pode gostar
Publicidade
Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA