Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Líder máximo do PCC, Marcola é transferido para presídio de Brasília

O chefe máximo da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), Marco Camacho, o Marcola, é transferido nesta sexta-feira (22) do presídio de segurança máxima de Porto Velho (RO) para o Presídio Federal de Brasília. É a segunda transferência do criminoso em pouco mais de um mês. Outros três presos são trazidos de Rondônia para a capital federal.

Segundo o Ministério da Justiça, a ação é parte dos protocolos de segurança pública que preveem rodízios de prisão dos detentos de alta periculosidade e integrantes de organizações criminosas nos presídios federais. Conforme a pasta, a medida é estratégica para o isolamento de lideranças e fundamental para o enfrentamento de organizações criminosas.

Antes de chegar a Rondônia, Marcola cumpria prisão na Penitenciária II de Presidente Venceslau, no estado de São Paulo. O deslocamento para o DF é feito pela Força Aérea Brasileira. Para o acompanhamento da operação, foram disponibilizadas viaturas da Polícia Federal e do Depen, além de batedores e helicóptero da Polícia Rodoviária Federal.

A Força Nacional de Segurança Pública reforçará a proteção do perímetro das áreas que contornam a Penitenciária Federal de Brasília.

Primeira operação

A primeira operação coordenada pela Secretaria de Operações Integradas (Seopi) ocorreu no dia 13 de fevereiro. A operação integrada entre o Governo Federal e o Governo do Estado de São Paulo resultou na inclusão de 22 presos no Sistema Penitenciário Federal. Na ocasião, os presos, líderes do PCC, custodiados em São Paulo, foram transferidos com a escolta do Depen e da Polícia Militar de São Paulo para penitenciárias federais.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA