fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Justiça interdita ala da Papuda após novas tentativas de fuga

Juíza considerou que o CDP, onde as tentativas de fuga ocorreram, foi construído há muito tempo e tem estrutura frágil

Willian Matos

Publicado

em

Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

A Vara de Execuções Penais  (VEP) decidiu interditar a ala D do Centro de Detenção Provisória (CDP), no Complexo Penitenciário da Papuda. A medida é em resposta às três tentativas de fuga registradas desde o último domingo (25).

As tentativas, desta vez, foram frustradas. No entanto, no último dia 14 de outubro, 17 presos conseguiram fugir pelo teto da cela 4, da ala C, do bloco 1 do CDP. 13 já foram recambiados, mas quatro seguem foragidos. São eles:

  • Carlos Cauan da Silva Campos
  • Gabriel Nathan da Rocha Bessio
  • Lucas Caldeira da Silva
  • Wanderson da Silva Santos

Com isso, as alas C e D do bloco I estão interditadas. Os presos foram remanejados à ala B do mesmo bloco ainda na segunda-feira (26).

Ao determinar a interdição, a juíza Leila Cury considerou a “extrema preocupação” que as tentativas de fuga causam à Justiça. A magistrada cita ainda que a ala interditada fica no prédio mais antigo da Papuda e tem estrutura frágil. “É que, à época de sua construção, ainda na década de 1960, não era comum o uso de concreto, tampouco de malhas de ferro para o reforço e contenção do ambiente prisional”, explicou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Agora, a Secretaria de Administração Penitenciária do DF (Seape) tem 30 dias para apresentar um plano detalhado de recuperação estrutural das alas.

O CDP I foi fundado em 1973. Além da frágil estrutura citada pela juíza, a unidade tem superlotação e abriga 3.409 detentos — a capacidade máxima é de 1.679. A Seape aguarda liberação de seis blocos do Centro de Detenção Provisória II (CDP II). Após a inauguração, o órgão precisará de liberação da Justiça para, enfim, transferir presos para a nova unidade.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade