fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Justiça e MP barram pagamentos e compras de testes rápidos e Saúde deve interromper testagem em massa no DF

Secretaria recebeu doação de 300 mil testes da Receita Federal que reforçará a testagem para servidores da saúde e, também, nas unidades básicas de saúde

Lindauro Gomes

Publicado

em

Foto: Vítor Mendonça/Jornal de Brasília
PUBLICIDADE

A Secretaria de Saúde tende a interromper a testagem em massa da população nos próximos dias diante das ações do MPDFT e do Tribunal de Justiça que barraram o pagamento de pagamento dos testes já utilizados na testagem de mais de 400 mil pessoas ate agora no Distrito Federal e comprometeram a nova fase de testagem no sistema drive thur com a suspensão da dispensa de licitação para a contratação de uma nova empresa para executar este serviço nos próximos dias.

Porém, mesmo com todas as restrições impostas pela justiça, a rede de Saúde pública do Distrito Federal ainda possui testes rápidos em seus estoques. Sem poder comprar novas remessas, nem pagar aos fornecedores a pasta só pode contar a partir de agora com doações e por isso não pode mais garantir uma testagem em massa, para a população, como estava previsto pelos especialistas da pasta.

Recentemente recebeu uma doação de 300 mil testes da Receita Federal que reforçará a testagem, por alguns dias, para servidores da saúde e, também, nas unidades básicas de saúde.

A Secretaria de Saúde informa que o teste rápido é feito em pacientes que apresentam sintomas da doença causada pelo novo Coronavírus (Sars-CoV-2) do oitavo ao décimo quarto dia e sua amostragem serve para avaliações do comportamento e evolução da doença entre a população e para traçar as estratégias indispensáveis e necessárias ao enfrentamento da doença. Para o epidemiologista Dr. Eduardo Hage, a testagem é de fundamental importância nesta fase da doença, quando entramos nos dias de pico da pandemia.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“A testagem em massa da população, permite aumentar a sensibilidade do sistema de vigilância para detectar mais casos, diminuindo a subnotificação e assim obtendo um quadro epidemiológico mais próximo da realidade”, afirma o especialista da Secretaria de Saúde do DF.

Quem deve fazer o teste rápido?

Quem tiver sinais da doença deve procurar a UBS mais próxima de casa, onde será avaliado, atendido e poderá fazer o teste mais indicado pelos profissionais de saúde, podendo ser o rápido ou RT-PCR. Esse tipo é realizado a partir da amostra colhida com o swab (um cotonete) da mucosa do fundo do nariz. Do terceiro dia com sintomas até o sétimo, é indicado fazer o teste do swab. A partir do oitavo dia, poderá ser feito o teste rápido, porque os anticorpos são mais detectáveis.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade