Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Investigado por homicídio, homem, na verdade, agiu em legítima defesa de um sequestro

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Rafaella Panceri
rafaella.panceri@grupojbr.com

Um homem de 30 anos foi roubado e sequestrado por dois bandidos em Sobradinho, na última quarta-feira (3), em frente a um supermercado da cidade. Um dos sequestradores tinha saído do Complexo Penitenciário da Papuda há menos de 24 horas e cumpria pena pelo crime de homicídio, além de ter a ficha criminal recheada de delitos. Ele e um comparsa levaram a vítima para dentro do carro, mas não imaginavam que a história tomaria outro rumo.

Com o carro em movimento e sentado no banco de trás, o sequestrado tomou a arma de um dos bandidos e atirou no motorista, que acabou morto e teve o corpo arremessado na BR-020. Ele efetuou outro disparo contra o comparsa que, mesmo ferido, tentou fugir — mas foi detido pela Polícia Militar. Depois de atirar contra a dupla, a vítima assumiu o controle do carro e dirigiu por 20 km.

Leia Mais: Homem leva tiro e é jogado para fora do carro na BR-020

O carro foi abandonado no Paranoá, de acordo com a Polícia Civil. Conforme o advogado do homem, ele fugiu por “medo dos bandidos” e deve se apresentar na 13ª Delegacia de Polícia nas próximas horas.

O autor dos disparos de arma de fogo era investigado, desde a última quarta-feira, pelos crimes de homicídio e tentativa de homicídio, mas a Polícia Civil esclareceu, na tarde desta quinta-feira (4), que se tratava de um sequestro e que ele teria agido em legítima defesa. O caso ficou mais claro após a prisão e coleta de depoimento de um dos envolvidos na ação.

A 13ª Delegacia de Polícia (Sobradinho) conduz as investigações sobre o caso. A vítima do sequestro deve se apresentar nas próximas horas. Foto: Myke Sena/Jornal de Brasília

Sorte
O que parece cena de filme de ação foi questão de “muita sorte”, de acordo com o delegado de plantão da 13ª Delegacia de Polícia (Sobradinho), Eduardo Ruperez. “Ele, excepcionalmente, se deu bem, porque tinha tudo para se dar muito mal”, indica.

Além de confrontar e atirar nos bandidos dentro do carro, o homem fugiu de outros dois rapazes que davam cobertura aos assaltantes em outro automóvel. Um deles era irmão do motorista morto e, por isso, desceu do carro para tirar o cadáver da pista.

Segundo o delegado, as investigações sobre o caso continuam. “Falta escutar a versão da vítima. O advogado garantiu que ele se apresentará nos próximos dias. Também estamos aguardando os laudos periciais e do Instituto Médico Legal para especificar quantos disparos foram efetuados”, explica.

Legítima defesa

Para a Polícia Civil, o autor dos tiros não deve ser preso. “Em casos como esse, a Justiça costuma entender que foi legítima defesa”, afirma Ruperez. Um dos cúmplices do assalto — que estava em outro veículo, dando cobertura ao sequestro —, está foragido.

O bandido que sobreviveu aos disparos de arma de fogo e tentou fugir correndo pela BR-020 foi detido pela Polícia Militar e encaminhado ao hospital mais próximo sob custódia. Em seguida, foi preso na 13ª DP.


Leia também
Publicidade