fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Ibaneis entrega projeto de novo bairro para 63 mil moradores

Plano de construção, elaborado pela Seduh e em parceria com o Exército e a Secretaria de Patrimônio da União, terá cerca de 21 mil imóveis

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Nesta quarta-feira (12), o Governo do Distrito Federal (GDF) entregou o projeto de um novo bairro residencial ao Exército Brasileiro. Trata-se de uma área de 4.226.976.34 metros quadrados, que será construído em uma área chamada de Pátio Ferroviário de Brasília, nas proximidades da antiga Rodoferroviária. Cerca de 63 mil moradores em 21 mil imóveis devem compor o local. 

O plano foi elaborado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh), em parceria com os militares e com a Secretaria de Patrimônio da União (SPU).

Durante a cerimônia de entrega do documento, que ocorreu no Salão de Honra do comandante do Exército Leal Pujol, o governador Ibaneis Rocha destacou a rapidez na elaboração do plano. “Foi menos de um ano para preparar o projeto”, lembra. “A previsão é de que no próximo ano já ocorram as vendas de imóveis. Dessa forma, evitaremos invasões e haverá mais desenvolvimento econômico para a cidade”, ressaltou o chefe do Executivo local.

Comandante do Exército Brasileiro, Leal Pujol, também comemorou a finalização e entrega da proposta. “O bairro será uma forma de beneficiar toda a sociedade, fomentando a economia local”, comentou. “Foi um trabalho eficiente, competente e conjunto, em um curto espaço de tempo”, reforçou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Projeto

A proposta obedece aos parâmetros previstos na Lei Complementar de Uso e Ocupação do Solo do DF (Luos) e o Plano Diretor de Ordenamento Territorial (Pdot). O documento estabelece diretrizes urbanística do novo bairro, como quais áreas e altura máxima que as construções poderão ter, assim como a delimitação do uso.

Segundo o plano, a ideia é valorizar os espaços públicos que devem ser amplos e arborizados, além do investimentos em mobilidade, como construção vias, calçadas e ciclovia. Haverá uma área destinada ao comércio e setores de saúde e educação.

Também será feita a integração com o sistema de transporte público, como ônibus, Veículos Leve sobre Trilhos (VLT) e trem para a conexão de outras áreas – DF-010, Eixo Monumental e os setores de Armazenagem e Abastecimento Norte (SAAN), de Indústria e Abastecimento (SIA) e Complementar de Indústria e Abastecimento (SCIA).

O chefe do departamento de Engenharia e Construção do Exército, general Cláudio Moura, agradeceu ao governador Ibaneis Rocha pelo apoio no projeto e a Seduh pela participação na proposta. “O objetivo é construir um bairro com conceitos inovadores de sustentabilidade e de cidades inteligentes. O urbanismo e a arquitetura serão referência para o país”, salienta.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Um dos desafios do plano está relacionado a atividade de operação de carga e descarga de minério, que ainda eram executadas no ramal ferroviária. “Esse tipo de operação é considerada poluidora, o que pode causar degradação ambiental. Seria incompatível com uma área residencial”, reforça o general Moura.

Próximos passos

A secretária Executiva da Seduh, Giselle Moll, explica que o plano é uma diretriz de como deverá ser o novo bairro residencial. “Agora, cabe ao Exército, que é proprietário do terreno, dar continuidade aos estudos”, informa. Ainda será feita uma reunião com a Companhia do Metropolitana do DF (Metrô) para fechar a proposta da área para o terminal e com a Secretaria de Transporte para definir o local necessário para linha de trem de passageiros.

Também haverá uma proposta ao Grupo Técnico Executivo a pedido do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), entre outros encontros, com demais órgãos, para finalizar o projeto.

Oficialização

Desde 2006, a área pertence ao Exército, que atua em constante patrulhamento patrimonial para manutenção e conservação das terras. Com a assinatura do novo Termo de Entrega e Recebimento (TER) em maio deste ano, os militares passam, formalmente, a cuidar e trabalhar pela destinação do espaço. Um planejamento estratégico também foi apresentado pelos militares à União, demonstrando a intenção de promover o desenvolvimento da área.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Com informações da Agência Brasília 




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade