fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Hospital de Campanha do DF tem investimento de R$ 79 milhões

Ao todo, serão 173 leitos de enfermaria adulto sem suporte de oxigenoterapia, mais 20 de suporte avançado e quatro de emergência a serem estruturados

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Para a contratação emergencial de 197 leitos para o hospital de campanha no estádio Mané Garrincha, a Secretaria de Saúde do Distrito Federal investirá R$ 79.449.903 na contratação emergencial de 197 leitos para o hospital de campanha no estádio Mané Garrincha. O extrato do contrato de serviço de gestão integrada com a empresa responsável foi publicado na edição extra do Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) dessa terça-feira (5).

“Esse é mais um passo para o funcionamento do hospital de campanha no Mané Garrincha. Com a assinatura do contrato, em abril, as notas de empenho publicadas e a empresa cumprindo com cada fase do processo, teremos os leitos disponíveis assim que possível”, afirmou o secretário de Saúde, Francisco Araújo.

Ao todo, serão 173 leitos de enfermaria adulto sem suporte de oxigenoterapia, mais 20 de suporte avançado e quatro de emergência a serem estruturados no hospital de campanha. Todos disponíveis para atendimento a pacientes com Covid-19 pelo período de 180 dias, prorrogável por igual período. O Jornal de Brasília teve acesso às imagens das obras do hospital. Veja:

O contrato inclui a locação de equipamentos, gerenciamento técnico, assistência médica e multiprofissional, de forma ininterrupta, com manutenção e insumos necessários para o funcionamento dos equipamentos, incluindo computadores e impressoras, e atendimento dos pacientes com medicamentos, materiais, alimentação.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No momento, a empresa responsável pela estruturação dos equipamentos já levou cerca de 130 camas com colchão para o estádio e iniciou o processo seletivo para recrutar 253 profissionais de saúde, entre enfermeiros, técnicos de enfermagem e farmacêuticos.

“Agora estamos na etapa de recrutamento do corpo técnico, que ainda envolve treinamentos nos fluxos assistenciais, rotas de fuga, entre outras práticas. Assim que as obras para instalar os leitos estiverem concluídas, a empresa entra com os profissionais”, informou o subsecretário de Infraestrutura, Isaque Albuquerque.Ainda de acordo com o gestor, ao final do contrato, os bens e equipamentos contemplados neste contrato serão incorporados ao patrimônio da Secretaria de Saúde e passam a ser propriedade da pasta.

 

Com informações da Agência Brasília




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade