fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Hospital de Base: PET-CT está sendo montado

O PET-CT foi adquirido em 2013 sem ter uma sala adequada para que ele funcionasse. Com o custo de US$ 1 milhão, é o único existente na rede pública no DF

Avatar

Publicado

em

Modelo de PET-CT. Imagem ilustrativa
PUBLICIDADE

Nesta segunda-feira (20) o aparelho que faz exame de imagem de alta definição para diagnóstico oncológico, PET-CT, começou a ser montado no Hospital de Base. O diretor-presidente do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IGESDF), Sergio Costa, se encontrou om o secretário de Saúde do Distrito Federal, Francisco Araújo, para checar a instalação, já que o equipamento é um dos mais modernos para diagnosticar e acompanhar doenças com precisão, como o câncer. 

O PET-CT foi adquirido em 2013 sem ter uma sala adequada para que ele funcionasse. Com o custo de USD$ 1 milhão (dólares), ele é o único existente na rede pública no DF. Para colocar em funcionamento, o IGESDF firmou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), em maio de 2019, homologado apenas no final do corrente ano pela Justiça.

Depois disso, foram iniciadas as obras para instalação do aparelho em novembro de 2019, sendo que a primeira etapa foi entregue em fevereiro e contemplou a conclusão da sala para onde o equipamento já foi transferido. Ao todo, o equipamento pesa cinco toneladas e estava guardado em 21 caixas que chegavam a medir até três metros de comprimento, no corredor do ambulatório do Base.

O diretor-presidente do IGESDF destacou que o PET-CT é de fundamental importância para o diagnóstico dos pacientes. “É muito bom ver que o equipamento está sendo montando e que já entramos em outras etapas de implantação como a que envolve a parte de energia elétrica e a regularidade junto à Comissão de Energia Nuclear. Esse equipamento em operação vai ser um legado para a população do Distrito Federal”, disse Costa, ao agradecer pelo apoio do governador Ibaneis Rocha e do secretário de Saúde.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ao parabenizar toda a equipe do IGESDF e destacar que a parceria com a Secretaria de Saúde é fundamental para fortalecer o sistema de saúde, o secretário Francisco Araújo, reforçou que colocar o PET-CT para funcionar é um marco histórico. “É a primeira vez que vamos colocá-lo à disposição na medicina nuclear, da forma que ela deve ser. Isso é mais uma determinação do governador Ibaneis que está virando realidade”, destacou.

Histórico

A sala que recebeu o aparelho tinha sido lacrada e ficou fechada sob responsabilidade da empresa fornecedora do equipamento. Agora, a sala foi reaberta para iniciar a montagem do equipamento e, posteriormente, a realização dos testes.

Intervenções

O secretário de Saúde também visitou outras áreas do Hospital de Base, onde o IGESDF fez reformas na unidade para atender pacientes referenciados da Covid-19. O objetivo foi evitar o cruzamento de fluxos, por isso, alas foram separadas e uma tenda foi montada no ambulatório do HB. Neste momento, não há casos de covid-19 neste hospital.

A ala sul do Pronto-Socorro foi preparada e destinada ao atendimento exclusivo de pacientes do trauma ou oncológicos acometidos pela Covid-19. Na ala norte, continuam sendo assistidos os pacientes que precisam de atendimento em medicina interna referenciada para oncologia e hematologia em situações de urgência e emergência e as outras especialidades já atendidas pelo Base. Além disso, todo o ambiente está organizado para que não haja cruzamento de fluxos entre as alas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Para disponibilizar um número maior de vagas para os pacientes de trauma, também foram criadas as Salas Vermelha para atendimentos graves, Laranja para pacientes do trauma sem instabilidade e uma Sala Amarela para ampliar o potencial dos acolhimentos.

Tenda 

Para complementar o atendimento das especialidades do Pronto-Socorro, uma tenda foi montada no ambulatório para o Pronto Atendimento 24h das especialidades de Ortopedia, Onco-hematologia, Oftalmologia, Otorrinolaringologia e Urologia. O espaço conta com sala de acolhimento, classificação de risco, box de emergência com dois leitos, banheiros e espaço para espera.

Também foi montada no ambulatório uma sala exclusiva com cinco leitos para pacientes da Neurocardiologia para que os doentes não fiquem expostos a outras patologias.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade