Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Haitiano é preso por venda ilegal de passagens 

Ele foi flagrado vendendo ilegalmente passagens do sistema de transporte público do Distrito Federal na Rodoviária do Plano Piloto

Publicado

em

Publicidade

Da Redação
redacao@grupojbr.com

A Polícia Civil do DF, por intermédio da Coordenação de Repressão aos Crimes contra o Consumidor, a Propriedade Imaterial e a Fraudes – Corf, prendeu o haitiano C.R, 43 anos, na manhã desta sexta-feira (11). 

Ele foi flagrado vendendo ilegalmente passagens do sistema de transporte público do Distrito Federal na Rodoviária do Plano Piloto. A 6ª etapa da Operação Cartão Vermelho foi deflagrada pela PCDF com o objetivo de coibir o crime de estelionato contra a Administração Pública. 

Esta é a segunda vez que o haitiano é preso. A primeira prisão ocorreu em 18 de julho, no mesmo local, quando ele passava cartões de terceiros e cobrava R$ 5 por embarque. Na operação desta sexta, ele foi flagrado com dois cartões e R$ 1.092 em espécie. C.R. alega que o dinheiro é proveniente da venda de roupas, mas confessou ter passado os cartões nas catracas por quatro vezes hoje. 

Publicidade

Ele foi autuado em flagrante pela prática de estelionato contra a Administração Pública, com pena que varia de um a cinco anos de reclusão, mais aumento de 1/3, conforme o artigo 171, §3º, do Código Penal. 

A prisão foi efetuada a partir de informações repassadas pela Subsecretaria de Fiscalização da Secretaria de Mobilidade, que vinha monitorando a ação do investigado. Além disso, a Sufisa apresentou os extratos de movimentação dos cartões, que corroboram que os cartões apreendidos foram utilizados nesta sexta-feira. 

O suspeito foi filmado e fotografado passando cartões para terceiros, recebendo dinheiro por cada vez que passava o cartão nos validadores do BRT. Os furos no sistema de transporte público causam prejuízos de R$ 100 milhões por ano ao Governo do Distrito Federal.

Com informações da PCDF.


Você pode gostar
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *