fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Grupo que forjava acidentes para receber seguro é alvo da PCDF

Em um dos casos, suspeitos explodiram uma lancha em Caldas Novas-GO e foram ressarcidos em R$ 750 mil

Willian Matos

Publicado

em

Foto: Divulgação/PCDF
PUBLICIDADE

A Polícia Civil (PCDF) realiza, nesta terça-feira (15), uma operação contra um grupo suspeito de forjar acidentes automobilísticos para lucrar com os seguros. São cumpridos 12 mandados de busca e apreensão em Vicente Pires, Taguatinga, Guará, Águas Claras, Núcleo Bandeirante, Asa Norte e Lago Sul.

O grupo agia há cerca de dois anos e só utilizava carros de alto poder aquisitivo nas fraudes. Os suspeitos compravam os veículos, contratava seguros novos e causavam acidentes de propósito. Um dos motoristas assumia a culpa pela colisão para que a seguradora arcasse com o prejuízo. Os valores pagos pelas empresas eram baseados na Tabela Fipe, superiores aos preços de compra dos automóveis.

As colisões ocorriam sempre na DF-140, próximo ao Complexo Penitenciário da Papuda, ou no Setor de Clubes Sul (SCES), sempre de madrugada. O grupo atingia o centro dos veículos, acidente que, geralmente, resulta em perda total.

Pelo menos dez carros foram envolvidos em acidentes propositais. Em dezembro do ano passado, o grupo chegou a incendiar uma lancha às margens do Lago Corumbá, em Caldas Novas-GO, e lucrou R$ 750 mil com o seguro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Foto: Divulgação/PCDF

O diretor da Divisão de Repressão a Roubos e Furtos (DRF), Fernando Cocito, alerta para a fragilidade das seguradoras. “Atualmente, as empresas de seguro demoram muito a fornecer as informações. São mal assessoradas. Deveriam ser ágeis na prestação das informações requisitadas, mas não é o acontece”, afirmou o delegado.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade