fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Grupo que abriu contas bancárias no nome de servidores do GDF é preso

Suspeitos conseguiam os dados das vítimas, fabricavam documentos falsos e abriam as contas. Em seguida, pedia empréstimos e até financiavam veículos

Willian Matos

Publicado

em

Foto: Divulgação/PCDF
PUBLICIDADE

A Polícia Civil (PCDF) desarticulou nesta terça-feira (27) um grupo suspeito de fraudes contra servidores do GDF. São cumpridos seis mandados de busca e apreensão.

Pelo menos 31 pessoas foram vítimas dos golpes, que ocorreram durante o ano de 2019. Estima-se que o prejuízo é de R$ 2 milhões.

As investigações apontam que o grupo conseguia dados dos servidores pela internet. Com as informações, os suspeitos fabricavam documentos falsos em nome das vítimas.

Em seguida, o grupo abria contas bancárias em nome das vítimas. Com as contas abertas, os suspeitos pediam empréstimos bancários e até financiavam veículos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os valores eram transferidos para contas de terceiros e depois repartidos entre os membros do grupo criminoso. A PCDF aponta que eles gostavam de exibir as notas de dinheiro ilícito nas redes sociais.

Foto: Divulgação/PCDF

Ligação com o PCC

As investigações apontam ainda que parte do dinheiro conquistado ilegalmente era usado para o comércio de armas de fogo. Os suspeitos teriam vínculo com o Primeiro Comando da Capital (PCC), facção criminosa de São Paulo que tenta se enraizar no DF.

O vídeo abaixo mostra um diálogo que comprova o comércio de armas:




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade