Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Governador Ibaneis Rocha defende com veemência modelo de gestão compartilhada nas escolas 

A decisão do governador é implementar participação da PM até nas escolas que rejeitaram proposta

Publicado

em

Da Redação
redacao@grupojbr.com

Após a cerimônia de entrega de cadeiras de rodas no Hospital de Brasília, nesta segunda-feira (19), o governador do DF, Ibaneis Rocha, compareceu à Câmara Legislativa e defendeu o modelo de gestão compartilhada para escolas públicas do DF. 

Segundo o governador ele vai manter a decisão de implementar a gestão compartilhada com a Polícia Militar até nas escolas que rejeitaram o novo modelo. 

“Chega de esquerdismos, chega de esquerdopatas… Se quiserem suspender, que vão à Justiça”.

As escolas, Gisno (Asa Norte) e do Centro de Ensino Fundamental (CEF) 407 de Samambaia disseram não à militarização. E o governador comentou:

“Fizemos os estudos, todos os indicadores demonstram que o novo modelo vai melhorar a condição das escolas. Por isso, vou implementar a medida. Na legislação, observamos que a votação tem efeito apenas consultivo, e não vinculante. Nossa área jurídica já está preparando os pareceres que vão amparar a implementação”.

Segundo Ibaneis, a votação vai continuar, mas será a nível de pesquisa, não é determinante para a adoção do novo modelo. “Eu não vou deixar a cidade ser aprisionada por uma esquerda que ficou no passado. Teve a oportunidade de governar e não fez nada pela cidade”, falou

A história do estudante esfaqueado em frente ao CEF 407 de Samambaia motivou Ibaneis a seguir em frente com a sua decisão.

“Isso não é uma disputa entre sindicato e governo. Entre esquerda e direita. O governo tem a sua posição. E vai implementar as escolas com gestão compartilhada”, argumentou. 

No sábado (17), outras três escolas fizeram consulta à comunidade escolar e obtiveram aprovação para adotar a gestão compartilhada. São elas CEF 1 do Núcleo Bandeirante, CED 1 do Itapoã e CEF 19 de Taguatinga. No último dia 10, a mudança também foi aprovada pelo CED Estância III, de Planaltina.

A intenção da Secretaria de Educação é que o novo modelo entre em vigor nas próximas duas semanas. Atualmente, 7 mil alunos de quatro escolas são atendidos no novo modelo. Com a entrada de novas escolas, o número vai dobrar.

Neste domingo (18) o governador deixou alguns professores, servidores, alunos e deputados apreensivos com o anúncio feito de que irá implantar a gestão compartilhada com a Polícia Militar em duas unidades nas quais o plebiscito teve resultado negativo para a proposta governista.

Alguns deputados distritais responderam ao anúncio do governador, que orientou os insatisfeitos a irem à Justiça. “A democracia também se funda na participação social e se constrói com uma relação livre entre Estado e sociedade. Se for o caso, vamos à Justiça, como ele mesmo propôs”, disse o parlamentar Leandro Grass (Rede).

 


Você pode gostar
Publicidade