Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Gestores serão sensibilizados sobre a importância de tornar os gastos mais eficientes

Francisco Araújo, presidente do IGESDF, lembra que os recursos são oriundos dos cofres públicos e que existe um déficit nas consta do GDF

Publicado

em

Fotos: Davidyson Damasceno/IGESDF
Publicidade

Da Redação
redacao@grupojbr.com

Gestores do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IGESDF) participaram, nesta sexta-feira (18), da instalação do Comitê de Controle de Gastos que tem como principal função racionalizar processos e reduzir custos em todas as unidades administradas pela instituição. O lançamento ocorreu no Hospital de Base.

“É um instrumento que visa assegurar o avanço da eficiência de nossa gestão, objetivando garantir a execução do Plano de Metas 2019/2020 do IGESDF, mas, principalmente, estabelecer o controle geral dos gastos, tendo em vista que a realidade exige que façamos mais com menos”, afirmou.

Francisco Araújo, presidente do IGESDF. Ele lembra que os recursos são oriundos dos cofres públicos e que existe um déficit nas consta do GDF. Desta forma, adverte, “temos que agir para enfrentar, juntos, as adversidades que surgirem em decorrência dessa situação, pois os gestores têm a missão de sensibilizar seus colabores e usuários”. O presidente do IGESDF concluiu ressaltando que “precisamos entregar mais, controlar mais, qualificar mais e ter mais transparência, e todos podem e devem ajudar neste processo”.

Presente no evento, o secretário de Economia do DF, André Clemente, destacou que a atuação do governo para fortalecer o sistema de saúde também tem como objetivo o melhor uso dos recursos financeiros. “O recurso público precisa bem gasto ou não será suficiente para nada nunca. Sabemos que as necessidades são infinitas, por isso, é necessário principalmente na área da saúde ter uma ação imediata no sentido de organizar o gasto para que os recursos sejam melhores aplicados”, ressaltou. Logo após à posse dos membros, o comitê realizou a primeira reunião de trabalho para traçar as ações a serem implementadas, imediatamente, em todos os setores da atividade hospitalar, envolvendo, desde a economia energética com a substituição de lâmpadas comuns por LED, passando pela implantação de novos e modernos equipamentos hospitalares, até a substituição de copos descartáveis por reutilizáveis, por exemplo.

O comitê vai orientar permanentemente os colaboradores e terceirizados sobre medidas e metas estabelecidas para controlar, qualificar e reduzir os gastos, racionalizando os recursos disponíveis, sem prejuízo no funcionamento dos serviços essenciais à população.

O Comitê será um mecanismo que, de forma permanente, vai controlar e monitorar o cumprimento de medidas de contenção de gastos no Instituto.

O vice-presidente do Instituto, Sérgio Costa, acrescentou que “o Comitê surge para identificar gastos desnecessários e priorizar o que é importante, porque a nossa população precisa de entregas rápidas e eficientes”.

O Comitê fará reuniões quinzenais, focando em soluções para aprimorar as atividades e serviços que são prestados à população dentro do controle dos gastos necessários. “Vamos integrar todos os setores, aplicando metodologias de controle e avaliação de custos, acatando sugestões, elaborando análises e fazendo as deliberações necessárias”, afirmou Denise Magalhães, presidente do Comitê.

 


Você pode gostar
Publicidade