fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

GDF amplia sistema de captação de águas para evitar alagamentos na Asa Norte

Medida é em resposta às fortes chuvas que atingiram a região no início do mês

Willian Matos

Publicado

em

Foto: Secretaria de Obras e Infraestrutura / Divulgação
PUBLICIDADE

Da redação
[email protected]

Na última terça-feira (19), o Governo do Distrito Federal (GDF) deu início à ampliação do sistema de captação de águas pluviais das faixas 10 e 11 do Plano Piloto, na Asa Norte. Trata-se de uma medida de prevenção às chuvas do fim de ano — as que atingiram a região no início do mês já causaram diversos transtornos.

Estão sendo abertas novas estruturas de escoamento da água, duplicando a capacidade hidráulica das bocas de lobo já existentes. Também serão construídos meios-fios vazados, o que permite que a água escoe pelos canteiros.

Os funcionários começaram pela 510 Norte, com a abertura de bocas de lobo. Até o fim da semana, elas devem ser totalmente instaladas. O subsecretário de Acompanhamento Ambiental e Políticas de Saneamento, Diego Bergamaschi, ressalta que o objetivo é evitar problemas para os moradores e transeuntes da região. “Com esta medida emergencial, pretendemos evitar ou pelo menos minimizar os alagamentos durante o período chuvoso nesta região. Com certeza os transtornos serão bem menores e pontuais”, afirma.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Medidas paliativas

Desde agosto o GDF vem desenvolvendo ações paliativas para superar os problemas com alagamentos na Asa Norte, principalmente nas Faixas de Contribuição 1/2 e 10/11, onde os incidentes são mais recorrentes. Além de intensificar a limpeza, o governo abriu novas bocas de lobo, criou reservatórios temporários com o rebaixamento das áreas verdes disponíveis e implantou curvas de nível nas imediações do Parque Burle Marx.

“Adotamos uma estratégia preventiva. Em um primeiro teste, percebemos que as faixas 1 e 2 não tão foram atingidas como nos outros anos. Por outro lado, fomos evidenciou-se a necessidade de intensificar ações em toda a área entre a 506 e 513 Sul. Estamos usando da capacidade técnica e operacional disponível, no intuito de diminuir os transtornos de quem circula pela Asa Norte”, avalia o subsecretário.

Solução definitiva

Apesar dos esforços do governo para conter a água das chuvas e minimizar os alagamentos, a solução definitiva para a questão só se dará com o redimensionamento das galerias de águas pluviais. Neste sentido, a atual gestão trabalha na readequação do projeto e na captação de recursos para a futura obra.

“O projeto existente é oneroso aos cofres públicos e as alternativas apresentadas não atenderam às exigências do Iphan [Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional] quanto à questão do tombamento. Desta forma, estamos desenvolvendo um projeto viável e de acordo com as exigências. Esperamos, em breve, colocá-lo em marcha”, explica o secretário de Obras do GDF, Izidio Santos Junior.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Com informações da Agência Brasília




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade