fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Falecimento de educador pernambucano Júlio Correia repercute em Brasília

Ex-reitor e ex-secretário, tido como profissional de excelência, Correia foi criador da Escola de Aplicação do Recife nos anos 80

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Hylda Cavalcanti
[email protected]

Repercutiu no mundo acadêmico do Distrito Federal, entre servidores federais lotados em Brasília e especialistas das mais diversas áreas profissionais o falecimento, ontem (29), no Recife, do professor Júlio Correia, ex-reitor da Universidade de Pernambuco (UPE). Correia, de 76 anos, foi secretário de ensino superior do MEC na década de 1980, diretor da Faculdade de Administração de Pernambuco e secretário de Educação do Recife, dentre outros cargos que exerceu.

Ele foi responsável pela criação da chamada “Escola do Recife”, em 1984, junto com a professora e companheira Gracita Bruto Correia. A entidade é reconhecida como excelência no ensino gratuito e tem sido responsável por boa avaliação dos alunos no Enem.

Em sua trajetória profissional, o gestor e educador orientou vários profissionais que se destacam hoje na capital do país. Ele era próximo de pessoas como o ex-secretário da Receita Federal Everardo Maciel, o ex-secretário executivo do MEC e ex-diretor da Sudene Aloísio Sotero, o gerente executivo da ANTT Arão Parnes, o ex-diretor do MEC em Pernambuco Sílvio Amorim e o professor da Universidade de Brasília, Luiz Andrade.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Júlio Correia estava internado no Real Hospital Português, no Recife. Faleceu por volta das 18h de ontem por falência renal. O sepultamento está marcado para esta quinta-feira (30), no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, município da Região Metropolitana do Recife.

A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) decretou luto oficial de três dias pelo falecimento do educador. A entidade destacou, em nota, que ele era um acadêmico proeminente e deu imensa colaboração ao ensino de Pernambuco.

O advogado Sílvio Amorim destacou que Correia foi importante para o desenvolvimento da Educação do país e elogiou sua passagem pelo MEC, como titular da Secretaria Nacional de Ensino Fundamental.

Arão Parnes, radicado em Brasília há mais de 20 anos, lembrou passagens de episódios do educador quando ocupava a secretaria de Educação do Recife. “Foi um professor com quem os debates eram frequentes. Uma vez, ao ser procurado de forma desrespeitosa por um servidor de viés partidário contrário, Correia o atendeu de pronto. Ao questioná-lo sobre isso, ele me respondeu que ‘o maior ato de justiça que se pode praticar é fazer feliz outro ser humano’.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

De acordo com o gerente da ANTT, o educador foi, durante toda sua vida, “um homem correto, moralmente limpo, honesto consigo mesmo e solidário com o próximo”. Júlio Correia foi o primeiro reitor da Universidade de Pernambuco (UPE), quando da sua fundação, em 1991, e criador das Escolas de Aplicação da UPE no interior.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade