fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Escolas recebem equipes para falar sobre alimentação saudável

Intervenções fazem parte do projeto ‘Alimenta aí, galerinha’, elaborado em parceria com as secretarias de Saúde e de Educação

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Da Redação
[email protected]

Em Planaltina, Sobradinho, Asa Norte, Taguatinga, Guará, Samambaia e São Sebastião, cerca de mil estudantes entre cinco e 13 anos de idade aprenderam mais sobre alimentação saudável. As sete escolas públicas do Distrito Federal receberam mais uma intervenção do projeto Alimenta aí, galerinha, fruto de parceria entre as secretarias de Saúde (SES) e de Educação (SEE). 

No Guará, uma gincana colaborativa foi o método escolhido para ensinar crianças de dez a 12 anos da Escola Classe SRIA. Os alunos prepararam uma receita saudável, além de participar de jogos que estimularam a prática de atividade física. Ao final, todos receberam uma medalha e um espetinho de frutas.

Alunos de quatro a 12 anos da Escola Classe 9, em Planaltina, participaram da simulação de um mercadinho, onde fizeram compras e debateram sobre os itens adquiridos. “A discussão foi baseada no Guia alimentar para população brasileira [editado pelo Ministério da Saúde], trabalhando os conceitos de alimentos in natura, minimamente processados, processados e ultraprocessados”, explica a nutricionista Aline Toso, da SEE.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A Escola Classe 831, em Samambaia, teve o maior número de participantes, envolvendo 350 alunos de cinco a 13 anos. O trabalho foi feito por profissionais da Unidade Básica de Saúde (UBS) 3, que apresentaram exposição de embalagens de produtos identificando o teor de três vilões da alimentação: gordura, açúcar e sal.

O programa

O Alimenta aí, galerinha atua por meio de ações de educação alimentar e nutricional. A iniciativa é alinhada aos objetivos do programa Crescer Saudável, do Ministério da Saúde, que abrange trabalhos de vigilância nutricional, promoção da alimentação adequada e saudável, incentivo às práticas corporais e de atividade física, bem como cuidados às crianças que apresentam obesidade.

Com informações da Agência Brasília.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade