fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Entrevista com Valdir Oliveira: “Juntos, nós vamos vencer essa crise”

Sebrae-DF se reinventa durante a pandemia para poder dar subsídio aos pequenos empreendedores da cidade para que se reinventassem também

Rudolfo Lago

Publicado

em

PUBLICIDADE
Entrevista com Valdir Oliveira

Posted by Jornal de Brasília on Sunday, July 5, 2020

A crise da pandemia do novo coronavírus criou uma nova realidade, que exige de todos resiliência, criatividade e reinvenção. A encruzilhada em que vivemos aponta para duas atitudes, que levam a dois caminhos. A primeira atitude é ficar lamentando as perdas de oportunidades que vieram com os novos tempos. Essa atitude leva ao caminho do fracasso. A segunda atitude é buscar da melhor forma se adaptar aos novos tempos, na verdade acelerando alternativas que, mesmo sem a pandemia, já estavam postas. Esse é o espírito que pode levar ao caminho do sucesso.

Assim, diante da covid-19, a seção brasiliense do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-DF) primeiro se reinventou para poder dar subsídio aos pequenos empreendedores da cidade para que se reinventassem também. Com a pandemia, o Sebrae-DF deixou de dar consultoria presencial aos empresários, ela passou a ser somente remota. E, por incrível que pareça, em vez de diminuir, o percentual de atendimento cresceu 5%.

Nesta entrevista ao Jornal de Brasília, o superintendente do Sebrae-DF, Valdir Oliveira, explica e detalhe todos os serviços que estão sendo oferecidos aos micro e pequenos empresários do DF para que saiam melhores e mais fortes da crise.

Existem duas formas de se encarar um momento de crise como o que estamos vivendo. As pessoas podem ficar se lamentando, ou buscar alternativas para, mesmo na dificuldade, tentar tirar o melhor proveito. Esse parece ser o melhor caminho, não? E, nesse sentido, como o Sebrae pode ajudar?

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No Sebrae, nós procuramos sempre apoiar no caminho do empreendedorismo, que é o nosso campo. A discussão sobre a questão de saúde, a gente se coloca fora dela. A gente não tem competência nem conhecimento para travar discussão em torno disso. Então, qual é a nossa grande contribuição?

Agora, o governo anuncia a abertura de praticamente tudo em Brasília. Então, novamente, como é que a gente pode ajudar aos micro e pequenos empresários para esse novo movimento, essa nova construção que eles vão ter que fazer. É assim que o Sebrae se comporta.

E como o Sebrae pode ajudar neste momento os micro e pequenos empresários?

A primeira medida importante é a nossa própria transformação digital. Não faz sentido a gente pregar isso e não fazer. A gente precisa neste momento fazer um grande movimento de transformação digital. O Sebrae-DF passou a atender de forma remota, e com isso, as nossas duas grandes intervenções, que são de consultoria e de capacitação nós passamos a fazer através desses instrumentos, dessas ferramentas que vão nortear o novo mercado. Nós passamos a oferecer todo o nosso portfólio de capacitação a partir de ensino à distância e de ferramentas simples, como o Whatsapp.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Nesse momento de pandemia, nós nos esforçamos muito com orientações, dicas que são muito importantes. Nós demos quatro grandes conselhos para que nossos empreendedores pudessem passar por esse momento de pandemia.

Que conselhos foram esses?

Primeiro: renegociação de dívidas. É muito importante, principalmente do custo fixo. Então, olhe seu custo fixo, veja aquilo que você pode renegociar, para ajustar seu novo fluxo de caixa. Segunda dica que é muito importante: foco no time. E isso é importante porque a empresa não é formada só do empresário e dos seus interesses. Agora, neste momento de crise, é importante que o time esteja todo unido. E que cada um no time consiga compreender que é parte da solução, e não parte do problema.

O terceiro grande conselho que a gente deu foi: conectividade. Não perca a conectividade com o seu cliente. Isso é fundamental. Se você não está em rede social: não se preocupe: pegue o telefone e ligue para o seu cliente. Você precisa saber como ele está consumindo, como está se comportando. Porque é ele quem vai proporcionar a retomada do seu negócio. E, como ele está mudando os seus hábitos de consumo, é importante que você saiba disso para você ajustar o seu negócio.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

E o último conselho: crédito. Para ter acesso a crédito, você precisa ter um cadastro atualizado. Corra para o seu banco, entre em contato com seu gerente, veja se seu cadastro está atualizado. Porque aí nós vamos lhe preparar – e a partir de agora é que vamos fazer isso – para este novo momento, que é o novo mercado. Por isso é que o Sebrae está lançando 30 mil horas de consultoria gratuita para os nossos empreendedores. Em dois grandes focos: financeiro, porque ele precisa reajustar as finanças da sua empresa, a realidade mudou, e, principalmente no marketing digital, para que ele possa se ajustar ao novo mercado. Aquele que quer operar com e-commerce, se utilizar dos serviços de delivery, aquele que quer fazer um modelo de relacionamento nas redes sociais, como deve compreender o Instagram, o Facebook, Whatsapp, como canais de negócio.

E como os micro e pequenos empresários podem ter acesso a todo esse conteúdo?

Através dos nossos canais digitais e de atendimento remoto. Eles podem procurar através do telefone 0800-5700800. Ou nosso canal de atendimento no Whatsapp 3362-1701. Ou www.df.sebrae.br, através do banner “Fale com o Sebrae“. Tem uma novidade que nós lançamos que é fantástica e que todos terão aceso e, importante, tudo gratuito: oficinas por Whatsapp. Já colocamos em funcionamento 23 oficinas e já atendemos a 1.063 pequenos empresários nos últimos 30 dias em oficinas através do Whatsapp.

A oficina vai de 9h até as 18h, parando duas horas para almoço, monitorada por um especialista do Sebrae. Dos 1.063 participantes, nós fizemos uma pequisa, 93% aprovaram e recomendam que outros façam. Então, isso é a transformação digital.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Como o próprio Sebrae se renovou no sentido de se tornar mais digital e conseguir passar todo esse conteúdo para o seu público?

O mais importante foi a gente compreender no primeiro instante, quando o governo decretou o isolamento social, que era importante que fizéssemos o isolamento de forma rigorosa, mas que não perdêssemos essa conectiivade com o cliente. Aí, nós estruturamos nossa equipe para que ela continuasse esse trabalho de atendimento com o segredo da conectividade. Então, no primeiro instante, com a conectividade, a gente entendeu qual era a nova necessidade do nosso pequeno empresário.

A gente compreendeu como ele estava buscando as novas orientações, eles que iam antes fisicamente no Sebrae, como estavam buscando, como a gente podia chegar neles. Quando nós descobrimos tudo isso, nós passamos a desenvolver oficinas, formas de orientação, enfim, nós conseguimos desenvolver modelos de capacitação e de consultoria, que são as duas transformações que a gente faz em negócios e em empreendedores na forma digital, na forma que eles precisavam.

Nós entendemos a necessidade deles no primeiro instante, adaptamos de forma muito rápida, com ferramentas de que a gente precisava, e conseguimos de forma rápida também. E sabe qual foi a nossa surpresa? Nós fizemos um comparativo com esse período no ano passado e neste ano do nosso atendimento no Sebrae. No ano passado, a gente tinha um atendimento presencial e um atendimento remoto. Este ano, nós estamos só com o atendimento remoto. E qual não foi nossa surpresa de descobrir que nós crescemos em 5% o nosso atendimento.

Com toda essa situação que a gente está vivendo, dos negócios fechados, dos negócios quebrando, dos negócios em dificuldade, dos negócios sem perspectiva, crescemos em 5% o nosso atendimento. Sabe por quê? Porque empreendedor não desiste nunca. Essa á característica dele. O empreendedor não se entrega na primeira barreira. E, nós do Sebrae-DF, existimos para ser parceiros desse empreendedor. Enquanto ele acreditar nele, nós vamos acreditar e apostar nele também. E, assim, nós transformamos o Sebrae nos dois primeiros meses desta crise, e conseguimos junto dos nossos empreendedores e fazer toda essa transformação, que tem nos trazido um prazer enorme. Não só porque consolida o novo Sebrae neste momento. Mas porque a gente está vendo que os nossos empreendedores estão construindo essa volta por cima, e nós estamos ajudando eles nisso. Porque nós temos uma certeza disso tudo: a gente não entende desse negócio de vírus, de doença, isso os médicos, os pesquisadores é que entendem. Mas a gente tem uma certeza: isso tudo vai passar.


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade