fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Empresários do DF apostam em crescimento de 50% na procura por curso de idiomas em 2021

O empregador está cada vez mais exigente, e saber mais de um idioma é um dos grandes diferenciais que as empresas

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Donos de escolas de idiomas no Distrito Federal projetam para 2021 um crescimento de 50% na procura por cursos de idiomas. O dado é justificado pelo alto índice de desemprego em 2020, gerado pela pandemia, e a consequente necessidade de maior capacitação dos profissionais para atravessar a crise e conseguir uma boa recolocação.

O empregador está cada vez mais exigente, e saber mais de um idioma é um dos grandes diferenciais que as empresas, tanto as grandes quanto as pequenas, buscam em um novo colaborador.

Luiz Henrique Bravo Garonce, diretor administrativo na Ipa Idiomas, explica que em um contexto de crise, para ser superado, um dos grandes segredos sempre foi a capacitação.

“Nós esperamos um aumento de 20% a 25% de novas matrículas para o próximo ano. A exemplo de outras crises financeiras que já vivenciamos, percebemos que em pouco tempo costuma existir um “boom” na área da educação. Porque muitas pessoas entendem que para sair de uma crise e para conquistar novas oportunidades, a capacitação é o caminho, e o inglês não fica fora disso. Nós sabemos muito bem a importância que o domínio de uma língua estrangeira tem no currículo e na carreira”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Para Romildo de Carvalho, diretor na inFlux English School, os profissionais precisam enxergar que agora estamos em um mundo diferente. “O mundo da comunicação tem que ser cada vez mais intenso entre os diversos povos. As pessoas precisam se comunicar para poderem sair inclusive dessas dificuldades que estão surgindo o tempo inteiro.”

Através do universo online, surgiram muitas oportunidades de cursos que estão acessíveis para todos. “Esse é um mercado muito grande, que se abre para que as pessoas possam se comunicar melhor. E com essa alternativa conseguimos ver quanta coisa nova surgiu a partir disso. As pessoas podem fazer cursos adicionais, porque agora não gastam tempo para se deslocar ”, afirma Carvalho.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O diretor do Fluency Curso de Inglês, Eugênio Souza, diz ainda que a aula de idiomas é uma maneira de o aluno ampliar a socialização. “Vários alunos, graças ao que eles aprenderam nas nossas escolas, conquistaram coisas incríveis, ocupam cargos em outros países e conquistaram sonhos. Esse novo normal implica em se capacitar. E o idioma pode ser um catalisador para isso”.

União das escolas de idiomas

Ao todo, 22 unidades se uniram para promover o setor e trocar informações sobre diversas melhorias para atender aos alunos, tanto presencial, quanto online, durante a pandemia do novo coronavírus. Eles trocam informações sobre itens de segurança para as unidades, onde comprar objetos essenciais como termômetros, tapetes sanitizantes, sinalização. E também dicas de como proceder nas salas de aula e nos ambientes de uso comum.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O grupo elaborou ainda uma cartilha orientando os alunos e os professores em como agir neste momento de pandemia.

São nomes de empresas como a IPA Idiomas (Asa Sul e Águas Claras), InFlux English School (Jardim Botânico, Sudoeste e Taguatinga), Exchange Soluções em Idiomas, Fluency Curso de Inglês, FISK (Asa Sul), Number One (Asa Norte), Yázigi (Terraço Shopping e Casa Park), Yes! (Ceilândia, Taguatinga 1 e 2 e Vicente Pires), Wise Up (Águas Claras e Gama), Skill Idiomas (Ceilândia e Samambaia), Winners idiomas (Samambaia e Taguatinga) e You VIP Idiomas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
>



Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade