fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Duas irmãs são mortas em casa perto de filhas

Em Cristalina-GO, Gisleno Xavier Souza assassinou a ex-companheira Maria Gonçalves, 28, e sua irmã, Cleide Aparecida Gomes, de 34, com disparos de arma de fogo. As duas estavam em casa junto de três crianças

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Pedro Marra
[email protected]

Duas irmãs foram mortas em frente a três filhas, em Cristalina-GO, Entorno do Distrito Federal. Maria Gonçalves, 28 anos, e Cleide Aparecida Gomes, 34, foram assassinadas a tiros pelo ex-marido de Maria, Gisleno Xavier Souza, que está foragido da Polícia Civil de Goiás (PCGO). Informações preliminares dão conta de que ele não aceitava o fim do relacionamento, que durou sete anos.

Após discutir com o criminoso, no último sábado, Maria saiu de casa para ficar um tempo na casa da irmã de Cleide, que morava próxima à irmã. Na mesma noite, as duas mulheres foram a uma festa infantil, também em Cristalina. Era uma comemoração de aniversário do filho de outra irmã, chamada Rose.

No evento particular, que terminou por volta de 23h, Cleide desabafou com as irmãs sobre a preocupação em Gisleno poder machucar alguma delas. Maria estava com as três filhas de Cleide quando, por volta das 2h de domingo, Gisleno pulou o muro da casa, arrebentou a porta e deu um tiro de arma de fogo contra a mulher.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O assassino também atingiu Cleide, quando ela tentou se defender dos disparos. A mulher levantou uma das mãos, mas a bala atingiu o peito, e morreu no local. A assessoria de imprensa da Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) informou, em nota oficial, que “ressalta, mais uma vez, a importância do sigilo para o sucesso na identificação dos envolvidos e as circunstâncias do crime.” O caso, com duplo homicídio, ainda não foi dado pela polícia goiana como duplo feminicídio.

Queda de feminicídios em 2020

Em 2020, foram 13 feminicídios consumados pela SSP. A metade do ano passado, quando a pasta registrou 26 assassinatos de mulheres no DF. O levantamento da Secretaria abrange janeiro a novembro deste ano. Com três feminicídios, Recanto das Emas é a região do DF com mais óbitos do gênero notificados até então.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Levantamento mensal realizado pela Secretaria de Segurança Pública do DF (SSP) mostra que, de janeiro a novembro de 2020, houve queda de 7,6% no número de vítimas de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs), que agrupam homicídio (e feminicídio), latrocínio e lesão corporal seguida de morte.

O levantamento aponta ainda que, em novembro, houve o menor número de vítimas de homicídios dos últimos 21 anos para o mês. Os CVLIs também atingiram a melhor marca em 21 anos em novembro. No acumulado dos onze meses deste ano, também houve redução nas vítimas de CVLI, de 7,6%, o que representa 31 vidas preservadas. No caso dos feminicídios, a redução chega a 56,6% no acumulado deste ano. Nos últimos dois meses não houve casos deste crime no DF. Em fevereiro e maio também não houve registro. Mas, até o momento, são 33 assassinatos de mulheres em 2020 no Distrito Federal.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Além do homicídio das duas irmãs no último domingo, dezembro também houve outro caso de feminicídio, ocorrido no dia 16 de dezembro. A vítima foi Luciane Simão Silva, de 42 anos, que foi morta após golpes do companheiro, de 34, na Fercal, região de Sobradinho II. Casada há oito meses com Rondinele Ferreira. Ela chegou a ser internada no Hospital de Base, mas veio a óbito na madrugada dessa segunda-feira (21).




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade