Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Dois funcionários do Governo de Brasília foram presos em megaoperação contra pedofilia

Jéssica Antunes
[email protected]

Dois funcionários públicos do Distrito Federal que lidam diariamente com adolescentes foram presos na megaoperação contra pedofilia deflagrada na manhã desta quinta-feira (17) pela Polícia Civil. Um deles é professor da Secretaria de Educação, responsável por ministrar aulas para turmas de Ensino Médio, e tem 42 anos. O outro tem 47 anos, é servidor da Secretaria de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude, e atua como agente socioeducativo.

Ambos foram presos em flagrante em Valparaíso (GO), na Região Metropolitana do DF, por armazenarem imagens de cunho sexual envolvendo crianças e adolescentes. Segundo o delegado da cidade goiana Rafael Abrão, que colaborou com a operação, nenhum deles tinha passagens anteriores por crimes, mas já eram investigados pela Delegacia Estadual de Crimes Cibernéticos.

Leia Mais: Presos em megaoperação contra pedofilia moram em áreas nobres do DF

Em busca de evidências

A busca e apreensão ocorreu nas casas dos suspeitos. “Eles fazem parte de uma rede de armazenamento e compartilhamento de material pedófilo. Foram analisados computadores, HD, tablets, pendrives, telefones, e foram encontrados esses arquivos. A princípio, são conteúdos baixados na internet,mas o simples fato de tê-los configura crime”, explica o delegado Rafael Abrão ao Jornal de Brasília, acrescentando que haverá perícia minuciosa.

A fiança para cada um dos suspeitos foi estabelecida em R$ 22 mil. Como nenhum deles havia pago o valor até por volta das 17h desta quinta, continuam presos, à disposição da Justiça. A ação faz parte da segunda fase da Operação Luz na Infância, considerada pelo Ministério da Segurança Pública a maior ação de combate à pedofilia do mundo e responsável por prisões no DF e em 24 estados. Aqui, três pessoas foram presas em flagrante – todos vivem em áreas nobres da capital.

Você pode gostar
Publicidade