fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Diarista é achada pela família

A família tinha registrado o desaparecimento da mulher na 16ª Delegacia de Polícia (Planaltina) por volta das 21h do último sábado (7).

Lindauro Gomes

Publicado

em

PUBLICIDADE

Pedro Marra
[email protected]

Familiares da diarista Maria José Batista, 56 anos, a encontraram na noite de ontem após ligação de vizinha avisando sobre o retorno dela. Até o fechamento desta edição, a causa do desaparecimento não foi esclarecida.

A família tinha registrado o desaparecimento da mulher na 16ª Delegacia de Polícia (Planaltina) por volta das 21h do último sábado (7).

Quando foi deixada pelo filho mais novo às 7h20 na Rodoviária de Planaltina, ela disse a Rafael Batista, de 21 anos, que iria a um salão de beleza, em Sobradinho. Ainda não se sabe o motivo da saída da diarista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Depois disso, ela pegou o ônibus de linha 620.1, rumo à Rodoviária do Plano Piloto. Mas, segundo o filho mais velho de Maria José, Eder Batista, 30 anos, ela fez uma recarga no cartão de transporte ainda na Rodoviária de Planaltina e pegou um ônibus para o Recanto das Emas no sábado.

“Ela costuma trabalhar na Asa Norte segunda e quinta-feira, mas não no sábado. Ela fez uma recarga no cartão às 7h30, na Rodoviária de Planaltina. Quando chegou na Rodoviária do Plano Piloto, pegou um ônibus para o Recanto das Emas, da linha 809. E não temos conhecidos no Recanto”, afirma.

Familiares e amigos de Maria José se mobilizam pelas redes sociais para encontrá-la. Os filhos dela começaram a estranhar quando, por volta das 17h de sábado, ela não havia voltado para casa.

O telefone celular de Maria José está desligado, e a última visualização no WhatsApp foi às 10h43 de sábado. Os filhos confirmaram que ela não tinha horário marcado no salão, e ela não apareceu por lá.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade